Créditos: Microsoft

Criador da Bethesda especula sobre futuro de Elder Scrolls 6 e jogos exclusivos no Xbox

Executivo que deixou a companhia em 2002 diz que aquisição pode ajudar Microsoft a ganhar espaço contra o PS5

A Microsoft adquiriu a Zenimax, dona da Bethesda, por US$ 7,5 bilhões recentemente. As empresas já deram alguns detalhes sobre a compra, mas não tocaram em alguns assuntos importantes, incluindo exclusividade e o desenvolvimento de The Elder Scrolls 6. Enquanto as informações oficiais não chegam, o pessoal do site Inverse buscou respostas e especulações sobre o futuro da Bethesda com Christopher Weaver, executivo que criou a empresa e ainda possui investimentos na companhia, mas deixou a firma em 2002.

Segundo Weaver, o negócio pode ser positivo para ambas as empresas e a aquisição não deve atrapalhar o desenvolvimento de The Elder Scrolls 6. O empresário acredita que a Microsoft vai "deixar a Bethesda ser a Bethesda" e seguir o seu ritmo de desenvolvimento. Porém, ele aponta que a firma deve deixar os executivos longe dos desenvolvedores.


Christopher Weaver, o fundador da Bethesda, deixou a empresa em 2002. (Imagem: MIT News/Reprodução)

"Eu penso que a Microsoft respeita os 34 anos de capacidade comprovada da Bethesda em produzir software de qualidade e deixará a Bethesda ser a Bethesda. No entanto, ainda não conheci um executivo que não queira acelerar a venda de um produto potencial", disse o executivo. "O truque é manter esses administradores afastados até que um produto esteja realmente pronto para o horário nobre. A Bethesda produz software comercial há muito tempo. Tenho que acreditar que os executivos da Microsoft aceitarão às sugestões da Bethesda."

Exclusividade

O fundador da Bethesda também comentou sobre a possibilidade de a Microsoft lançar jogos da Bethesda como exclusivos das plataformas Xbox. Segundo o executivo, a companhia pode se aproveitar da estratégia, já que possui uma das principais potências criativas da indústria nas mãos. "Não acho que a apresentação próxima do anúncio do PS5 tenha sido acidental", disse o executivo, fazendo menção à abertura da pré-venda do console da Sony.


(Imagem: Microsoft/Divulgação)

- Continua após a publicidade -

Weaver também falou que a compra limita as possibilidades de acordos e parcerias entre a dona do PlayStation 5 e a Zenimax, o que pode ser bastante positivo para o console rival. Mesmo com dando liberdade criativa para a Bethesda, a Xbox ainda será dona da empresa. "O que a Microsoft possui, a Sony não pode obter", disse o empresário.

O executivo também ressalta que as barreiras de produção e publicação de jogos diminuíram com os lançamentos digitais, mas a Bethesda continua sendo um dos poucos estúdios capazes de fazer jogos triplo A de grande escala. "O teste final será mostrado pela qualidade dos produtos lançados ao longo do tempo."

Atá agora, a Microsoft confirmou que a aquisição da Bethesda garantirá a chegada de jogos da companhia no Xbox Game Pass, incluindo futuros lançamentos como Starfield e The Elder Scrolls 6. A empresa também disse que vai honrar os contratos de exclusividade temporária que possui com o PS5 nos jogos Deathloop e Ghostwyre Tokyo.

Em relação aos lançamentos de jogos da Bethesda com exclusividade no Xbox Series X e S, o chefe da divisão de games da Microsoft, Phil Spencer, disse que os jogos serão analisados de caso para caso.

Fonte: Inverse
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

Qual vai ser o melhor game de outubro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.