Malwares se disfarçam de desfragmentadores de disco

Não é de hoje que programas maliciosos conhecidos como "scareware" se espalham pela Internet disfarçados de antivírus falsos. Uma vez instalados no PC da vítima, simulam uma varredura e mostram resultados alarmantes que não refletem a realidade. A solução? Comprar o software para resolver um problema que sequer existe.

Agora, os criminosos por trÁs dessas fraudes resolveram investir em outro segmento e começaram a distribuir falsos utilitÁrios de desfragmentação de disco.


Imagem: GFI Labs Blog

O alerta é da empresa de segurança GFI-Sunbelt, que detectou vÁrios programas maliciosos desse tipo, como HDDDiagnostic, HDDRepair, HDDRescue, HDDPlus e até ScanDisk, em uma referência ao utilitÁrio legítimo do Windows. Todos não fazem nada, "exceto disparar avisos falsos e exigir que a vítima compre os softwares para que eles ‘corrijam' os problemas fictícios que eles alertam", conforme o blog da companhia.

Esses programas prometem corrigir problemas no disco rígido e incrementar a velocidade do sistema, ao reorganizar os dados no HD. O recurso existe nativamente no Windows e passou a ser menos necessÁrio na medida em que as versões mais novas do sistema adquiriram capacidades melhores de gerenciamento. No entanto, muitos usuÁrios ainda reconhecem a importância da funcionalidade, de acordo com a GFI-Sunbelt.

Com isso, cibercriminosos passaram a explorar a manutenção do disco para extorquir dinheiro das vítimas e capturar seus números de cartão de crédito. Para confundir ainda mais os usuÁrios e tentar burlar a detecção pelos softwares antivírus legítimos, os criadores dos falsos desfragmentadores mudam os nomes dos programas em intervalos de poucos dias, segundo o The Inquirer.


A interface não muda, mas o nome do software é diferente


Como esse tipo de aplicativo malicioso se espalha através de técnicas de engenharia social e injeção de códigos maliciosos em sites, a GFI-Sunbelt recomenda atenção redobrada aos usuÁrios, evitando acreditar em pop-ups informando qualquer tipo de problema no PC e desconfiar de softwares que exigem pagamento antes de corrigir o sistema.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.