Créditos: Reprodução/ WCCFTech

Intel vai usar processo SuperFin com processadores Tiger Lake

Esse é um processo FinFET refinado, que promete melhor desempenho

A Intel fará um novo salto de arquitetura com o Tiger Lake, usando a tecnologia SuperFin, que é o nome escolhido pela empresa para se referir ao processo FinFET refinado. O que o faz diferente é o fato de ser combinado com um "capacitor de metal isolante supermetal", que consegue oferecer mais desempenho. O usuário final vai obter uma melhoria de velocidade, mesmo com a litografia de 10 nm usadas nos chips. 

É esperado que a arquitetura SuperFin consiga suprir o atraso para os 7nm, que está estimado em mais de um ano. Mesmo sem a migração da empresa, esse novo processo deve fazer com que o Willow Cove consiga atingir velocidades de clock muito maiores do que seu antecessor, Sunny Cove. Por consequência, consiga atingir um melhor resultado.

A diferença será particularmente pronunciada em tensões mais baixas, onde Willow Cove terá amplo destaque. Em tensões mais altas, ele consegue atingir velocidades acima dos 4,5 GHz. A empresa também incorporou a tecnologia Control Flow Enforcement para impedir a execução de códigos ilegítimos. 

Além dessas informações, não há muitos detalhes sobre o novo Tiger Lake. A Intel ainda não falou oficialmente quais são suas velocidades, tensões e preços. Apesar disso, já se sabe que eles devem ser integrados com seus gráficos Gen12 Xe. A empresa diz ainda que podemos esperar ganhos significativos em desempenho por eficiência de watt, com até 96 unidades de execução (EUs) e malha mais rápida e largura de banda de memória.

- Continua após a publicidade -

O Tiger Lake deve apresentar suporte para até 86 GB/s de largura de banda de memória e Criptografia de Memória Total. Além disso, ele também deve ser equipado com o Acelerador Gaussiano e Neural da Intel (GNA 2.0). Isso também pode fazer com que a inferência neural de baixa potência seja acelerada. O chip também deve ter suporte para Thunderbolt 4 e USB4, com largura de banda de 40Gb/s. 

Além do Tiger Lake, a Intel também revelou que está desenvolvendo um novo chip híbrido, codinome "Alder Lake". Esse novo processador deve chegar apenas em 2021 para os usuários. Ele vai combinar seus próximos núcleos Golden Cove e Gracemont. Também é esperado que ele chegue nos mesmos processos de 10nm.

É esperado que o anúncio oficial, mostrando todos os detalhes do próximo processador híbrido da empresa, aconteça em 2 de setembro. A Intel precisa surpreender com o desempenho deste chip, uma vez que a sua principal concorrente, AMD, está enviando opções cada vez melhores, com preços competitivos. 

Via: Engadget
  • Redator: Ana Luiza Pedroso

    Ana Luiza Pedroso

Qual vai ser o melhor game de outubro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.