Presidente do Irã confirma sabotagem pelo Stuxnet

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, confirmou que algumas centrífugas utilizadas no enriquecimento de urânio sofreram sabotagem graças à infecção por um software malicioso.

Embora não tenha especificado a ameaça, confirma as últimas investigações em torno do Stuxnet, que dão conta de que o worm foi desenvolvido para atacar equipamentos em uma frequência específica, utilizada pelas centrífugas das usinas nucleares do país.


Os ataques começaram em setembro e o Irã negava que o worm havia causado danos nas instalações. Agora, as autoridades estão reconhecendo o problema. De acordo com a BBC, oficiais chegaram a declarar que o malware é uma evidência de que uma "guerra eletrônica" foi deflagrada contra o país.

Durante coletiva para a imprensa, Ahmadinejad afirmou que o programa nuclear vai continuar, apesar dos danos causados pelo malware. "Conseguiram criar problemas para um número limitado das nossas centrífugas com o software que instalaram em seus componentes eletrônicos", declarou, conforme o jornal The New York Times. "Felizmente, nossos especialistas descobriram e agora não é mais possível sabotar os equipamentos", completou.

O programa nuclear iraniano é alvo de polêmica internacional, especialmente com os Estados Unidos, que temem que o Irã esteja desenvolvendo armas nucleares. O Irã, por outro lado, argumenta que seus fins são pacíficos, com foco apenas na produção de energia.

Para saber mais sobre como o Stuxnet funciona e seus possíveis danos, confira o especial publicado pelo Adrenaline.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Bingo pré-lançamento Radeon RX 6000. A Big Navi vai ser:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.