Créditos: Reprodução/ Web24

Apple rompe com Intel e irá produzir seus próprios processadores ARM em Macs

Empresa pretende se tornar totalmente independente em até dois anos

A Apple realizou há poucas horas o evento Worldwide Developers Conference (WWDC) 2020. A empresa aproveitou para anunciar diversas novidades em seus sistemas e, uma das novas políticas é a troca do modelo dos processadores utilizados em seus notebooks e desktops. A norte-americana vai deixar de usar os processadores da Intel e vai passar a usar seus próprios chipsets baseados na arquitetura ARM, desenvolvidos especialmente para seus dispositivos.

Esse é mais um passo dado pela Apple para conseguir independência em seu sistema. Assim, não será dependente de tecnologias desenvolvidas por empresas parceiras. A especulação que a empresa iria começar a adotar essa política já permeia o meio de tecnologia há bastante tempo. 

Outra promessa realizada pela Apple é que esses novos processadores terão total integração com o macOS Big Sur. Isso significa que todos os softwares desenvolvidos pela empresa vão poder rodar nativamente nos próximos MacBooks e, posteriormente, nos desktops, que serão equipados com os chipsets desenvolvidos pela companhia.

É esperado que os primeiros dispositivos com o chipset próprio da Apple comecem a ser distribuídos ainda em 2020. Apesar disso, a empresa promete uma transição suave e gradual. Isso significa que pode levar até dois anos até que a substituição dos processadores da Intel seja totalmente realizada.

- Continua após a publicidade -

Ainda não foram divulgados benchmarks com os novos processadores ARM da Apple. Apesar disso, é difícil que os primeiros modelos consigam superar o desempenho dos atuais modelos x86 da Intel, que integram o MacBook Pro. Apesar de não ser mencionado pela empresa, é esperado que a implementação dos processadores próprios comecem a ser inseridos em dispositivos de menor custo, como por exemplo o MacBook Air.

É possível saber o desempenho dos novos chips a partir dos modelos que estão nos iPads e iPhones. Alguns benchmarks do iPad Pro 2018 - que usa o chipset A12X próprio da Apple -, mostraram um desempenho até 73% melhor que o MacBook Air. O notebook era integrado com um Intel Core i5 e é consideravelmente mais lento que o tablet equipado com o chip da empresa.

Os primeiros modelos com os processadores da empresa devem começar a aparecer em breve. O plano é que em até dois anos a Apple consiga ser totalmente independente e produzir seus próprios chipsets para todos os seus dispositivos. 

Via: Mundo Conectado
Tags
  • Redator: Ana Luiza Pedroso

    Ana Luiza Pedroso

Escolha um lado:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.