Créditos: AMD

Site publica benchmarks da GPU AMD Radeon Pro 5600M com HBM2

Placa de vídeo mobile é baseada no chip Navi 12 e está disponível em plataformas da Apple

O site Max Tech publicou um vídeo no seu canal do YouTube onde traz os primeiros testes de desempenho da placa de vídeo para notebooks AMD Radeon Pro 5600M. Esse modelo é baseado em memórias HBM2 e foi construído em cima do chip Navi 12 com microarquitetura RDNA 2.

Até o momento, só é possível obter um notebook com uma GPU do tipo nas lojas da Apple. Como explica o site Guru3D, trata-se de um módulo multi-chips que é baseado num die de 7 nm e que utiliza dois stacks de memória HBM2 de 16 Gbit cada por chip. No total, a placa de vídeo traz 8 GB de VRAM.

Site oficial: AMD Radeon Pro Série 5000M

Segundo os testes de desempenho, essa nova GPU é cerca de 50% mais rápida do que a Radeon Pro 5500M. Ela é apenas 13% mais lenta do que a Radeon Vega 48, que é uma SKU exclusiva da Apple para seus notebooks.

- Continua após a publicidade -


Fonte: Max Tech

Todos os benchmarks divulgados são de testes sintéticos. No Manhattan 3.1. Offscreen em 1440p, por exemplo, a 5600M atingiu 259 pontos. Já no Aztec Ruins Offscreen em 1440p, foram 135 pontos. Uma das maiores diferenças foi no b, onde a GPU mobile atingiu 43.144 pontos, contra 28.748 da 5500M e 23.556 da Vega 20 de 4 GB.

A AMD Radeon Pro 5600M traz 40 Unidades de Computação (CUs) e 2.560 processadores de shader. Para completar, são 160 TMUs e estima-se um total de 64 ROPs – mas essa última informação não foi confirmada pela empresa.

- Continua após a publicidade -

O clock base da placa de vídeo mobile é de 1.035 MHz e a memória HBM 2 roda a incríveis 1,54 Gbps através de um barramento de 2048-bits. No final das contas, isso representa uma largura de banda de memória de 394 GB/s. Ainda segundo a publicação, a Radeon Pro 5600M tem um consumo de apenas 50 W.

Via: Guru3D
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

É melhor ter o xCloud capado no iOS ou ficar sem o serviço nos iPhones?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.