Créditos: NVIDIA

NVIDIA apresenta novo algoritmo capaz de renderizar milhões de fontes de luz dinâmicas

ReSTIR é um algoritmo de RayTracing que promete ser até 60 vezes mais rápido

A NVIDIA está nitidamente procurando melhorar ainda mais a sua tecnologia de RayTracing, que é o rastreamento de raios, identificando onde é adequado colocar uma sombra na imagem. Durante o SIGGRAPH 2020, foi anunciado que a empresa está firmando parcerias com pesquisadores do Visual Computing Lab no Dartmouth College, para conseguir rastrear raios vindo de milhões de fontes de luz, em tempo real. 

A equipe está desenvolvendo um novo algoritmo, nomeado de ReSTIR,  para conseguir realizar o efeito desejado. Assim, as imagens obtidas tendem a ter um efeito mais parecido com o que é obtido naturalmente, mas tudo isso desenvolvido automaticamente por software.

"Nosso insight principal foi reutilizar informações de pixels adjacentes espacial e temporalmente para informar quais raios rastrear. Essa ideia se assemelha a denoising e antialiasing modernos pós-processo. Apesar disso, enquanto o denoising filtra diretamente as cores dos pixels, filtramos probabilidades para ajudar a orientar os raios para reduzir o ruído futuro."
- Benedikt Bitterli, um dos autores do artigo e doutorado em Dartmouth

"Nosso insight principal foi reutilizar informações de pixels adjacentes espacial e temporalmente para informar quais raios rastrear. Essa ideia se assemelha a denoising e antialiasing modernos pós-processo. Apesar disso, enquanto o denoising filtra diretamente as cores dos pixels, filtramos probabilidades para ajudar a orientar os raios para reduzir o ruído futuro."
- Benedikt Bitterli, um dos autores do artigo e doutorado em Dartmouth

O algoritmo do ReSTIR reanalisa repetidamente um conjunto de amostras de luz. Ou seja, ele é exposto a uma série de fontes diferentes de iluminação e seu objetivo é traçar onde os seus raios irão se estabelecer. Ele aplica reamostragens (estimativa da precisão de amostras estatísticas dos pixels) espaciais e temporais adicionais. O objetivo é estabelecer informações que podem ser utilizadas em outras amostras, com fontes de luz similares.

"Isso trará uma mudança radical na criação de conteúdo. Esta pesquisa nos permite iluminar cenas intuitivamente, colocando números arbitrários de objetos emissivos que projetam sombras dinâmicas, e a iluminação 'simplesmente funciona' no renderizador."
- Kevin Margo, diretor criativo de CGI da NVIDIA

"Isso trará uma mudança radical na criação de conteúdo. Esta pesquisa nos permite iluminar cenas intuitivamente, colocando números arbitrários de objetos emissivos que projetam sombras dinâmicas, e a iluminação 'simplesmente funciona' no renderizador."
- Kevin Margo, diretor criativo de CGI da NVIDIA

- Continua após a publicidade -

A NVIDIA aproveitou a apresentação para mostrar, em vídeo, como o ReSTIR irá funcionar. Na demonstração, ele conseguiu traçar 8 raios por pixel, renderizando cenas contendo até 3,4 milhões de triângulos dinâmicos e emissivos em menos de 50ms por quadro. Você pode conferir o resultado no vídeo abaixo:

A GPU usada para a demonstração foi a GeForce RTX 2080Ti. A empresa afirma que usando componentes mais potentes, como uma Titan RTX, os resultados podem ser ainda mais elevados. A cena que, segundo a NVIDIA, poderia ter sido apresentada de uma forma mais nítida, foi a do parque de diversões.

Os dados apresentados pela empresa mostram que essa abordagem é de 6 até 60 vezes mais rápida que os métodos de última geração. Isso pode revolucionar o modo que vemos os games no futuro. Por enquanto, o algoritmo ainda está em estudo, precisando passar por adaptações até chegar ao consumidor final.

Via: WCCFTech
Tags
  • Redator: Ana Luiza Pedroso

    Ana Luiza Pedroso

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.