Créditos: Sony

Ghost of Tsushima não terá um sistema de "karma" como Infamous

A história do Samurai não será pautada em um sistema métrico de moral, mas sim nas transformações pessoais causadas pela narrativa
Por Beatriz Vitoriano Alves de Oliveira 19/05/2020 14:40 | atualizado 19/05/2020 14:40 Comentários Reportar erro

O game Infamous Second Son ficou conhecido por seu sistema de "karma" onde o jogador tem a possibilidade de variar entre os espectros morais de bondade e maldade dependendo das ações tomadas durante a gameplay. Agora a Sucker Punch, mesmo estúdio produtor de Infamous, está trabalhando no tão esperado Ghost of Tsushima. Entretanto dessa vez o estúdio decidiu seguir um caminho diferente. Não veremos o sistema de "karma" em Ghost of Tsushima se era isso que você estava esperando. 

Em uma entrevista para IGN, Jason Connell, Diretor Criativo e Diretor de Arte, afirmou que a utilização do sistema de "karma" chegou a ser considerado, contudo com o desenvolver da história a equipe percebeu que um sistema de métrica moral como o anterior não fazia sentido com objetivo final de Ghost of Tsushima. 

Connell explica que desta vez a Sucker Punch está buscando uma abordagem mais única, mostrando um personagem com valores e pilares já estabelecidos e sua transformação como pessoa ao decorrer da narrativa. Sem mudanças drásticas de idas e vindas no espectro "bom/mal", uma das críticas sobre Infamous Second Son. O objetivo é que Jin tenha uma história mais focada.

Brian Fleming, cofundador do estúdio, já tinha mencionado um tempo atrás que Ghost of Tsushima não é sobre fazer milhares de escolhas diferentes e finais alternativos. A narrativa quer que o jogador, junto a Jin, passe por todas as experiencias da guerra e dilemas morais e entenda como esse cenário pode transformar um personagem. 

Ghost of Tsushima passa durante a guerra contra os mongóis, tendo como objetivo defesa e libertação do Japão. O jogador acompanhara a história do guerreiro Jin Sakai, este podendo assumir dois modos: Samurai e Fantasma. 

- Continua após a publicidade -

Créditos imagem: Sony

Contudo é importante ressaltar que a falta do sistema "karma" não deve limitar a experiência do jogador. O estúdio deixara maneiras com que a personalidade de Jin consiga ser maleável o suficiente para que o jogador consiga também colocar suas preferências e sua essência dentro do personagem. Além disso, também estará a disposição do jogados as configurações mais "básicas" do jogo como alteração da cor de equipamentos, faixa de voz japonesa, entre outros. 

 

 

 

Fonte: ING, Voxel
  • Redator: Beatriz Vitoriano Alves de Oliveira

    Beatriz Vitoriano Alves de Oliveira

    Sou a Bia, em poucas palavras: estudante de Economia, curiosa de carreira e nerd de coração. Desde que me conheço por gente leio sobre tudo e gosto muito de debates.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.