Créditos: Vlad Savov / The Verge

Intel e TSMC podem começar a construir fábricas de processadores nos EUA

EUA estaria pressionando as empresas para diminuir a participação da Ásia no mercado

O The Wall Street Journal publicou um relatório informando que a Intel e a TSMC estão planejando construir fábricas de produção de processadores nos Estados Unidos. Isso ocorre durante o governo Trump, que adota diversas medidas para diminuir a participação dos países asiáticos nos componentes eletrônicos de tecnologia. Atualmente, o mercado mundial de hardware é abastecido, quase que exclusivamente, por países como China, Taiwan e Coreia do Sul. 

A Intel não negou a informação. O vice-presidente, Greg Slater, disse ao WSJ que "Somos muito sérios sobre isso". A TSMC - que é a responsável pela fabricação dos chips A da Apple, que integram os iPhones -, também parece seguir a mesma indicação. Segundo o relatório, a empresa já tinha conversado com a sua principal cliente e também alguns órgãos governamentais para iniciar a construção de uma fábrica em solo norte-americano. 

O jornal não fala exatamente quais são as fontes de suas informações, portanto isso ainda se caracteriza como um rumor. Eles apenas mencionam algumas conversas com pessoas importantes nas empresas. Apesar disso, é muito provável que ambas as companhias estejam de fato planejando diminuir a dependência da Ásia. Isso não quer dizer que todas as fábricas serão fechadas imediatamente, mas sim que haverá uma distribuição gradual da fabricação.

O processo de construção de uma nova sede de fabricação é algo complexo, que envolve muitas instâncias. Apesar do apoio de Donald Trump, atual presidente dos EUA, para que isso inicie logo. Trump já tomou medidas contra a entrada de empresas chinesas no país em 2019, fazendo uma "lista negra" com algumas marcas. A Huawei foi uma delas, acusada de espionagem. Nada foi provado, mas a empresa foi impedida de realizar acordos comerciais com as empresas estadunidenses, incluindo a Google.

- Continua após a publicidade -

O objetivo de trazer as fábricas para os EUA seria o mesmo usado para banir a Huawei, diminuir a espionagem. Segundo alguns sites norte-americanos, a Intel e o governo dos EUA estariam pressionando para que esse processo inicie logo. Mesmo que a migração das fábricas aconteça, ainda precisarão alguns anos para que a presença dos países asiáticos nos produtos eletrônicos diminua. 

Via: TechPowerUp, Engadget, The Verge
Tags
  • Redator: Ana Luiza Pedroso

    Ana Luiza Pedroso

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.