Créditos: Activision/Blizzard

ESRB cria novo rótulo para informar sobre games que possuem loot boxes

Designação “compras in-game (inclui itens aleatórios)” avisará ao consumidor sobre jogos que possuem esse tipo de mecânica

Uma das maiores polêmicas que surgiram no universo dos games nos últimos anos se diz em relação as loot boxes, bomba essa que explodiu em 2017 com as práticas aplicadas pela EA em Star Wars Battlefront 2, e que causou enorme revolta dos jogadores ao redor do mundo, que começaram a questionar sobre esse tipo de "mecânicas de surpresa".

Com o objetivo de avisar os compradores sobre jogos que possuem esse tipo de elemento, a Entertainment Software Rating Board (ESRB), órgão destinado a definir a classificação etária dos games na América do Norte, anunciou nesta segunda-feira (13) uma nova designação para os jogos com compras feitas in-game.

Segundo a ESRB, esta nova designação — “compras in-game (inclui itens aleatórios)” — será aplicada para games que oferecem a possibilidade de adquirir por meio de moeda do mundo real alguns itens aleatórios, seja através de loot boxes, mecânica de gacha, pacotes de cartões, entre outras, onde o que "o jogador não conhece antes de comprar os itens ou prêmios digitais específicos que receberá".

Caso esteja se perguntando o porquê da ESRB não ter utilizado especificamente a palavra "loot box", o órgão explica que decidiu utilizar a expressão "itens aleatórios" para tornar ela mais clara para os consumidores que estão menos familiarizados sobre o que seria uma loot box.

Queremos evitar confundir os consumidores que podem não estar familiarizados com o que é uma loot box. Pesquisas recentes mostram que menos de um terço dos pais ouviram falar de uma loot box e sabem o que é

- Continua após a publicidade -

Já para os casos de jogos que tenham algum tipo de compras que possa ser feita através dele próprio, porém, sem ser feito de forma aleatória (como, por exemplo, uma determinada skin ou um passe de batalha), este game receberá apenas a classificação "compras no jogo", essa criada em 2018 em meio das polêmicas referentes as microtransações.

No meio disso tudo referente as loot boxes, em 2019, Microsoft, Nintendo e Sony haviam se comprometido em exigir das desenvolvedoras e publicadoras de jogos que estariam em suas respectivas plataformas de divulgarem as chances de receber os itens presentes em loot boxes, sendo que essa ação começaria a valer neste ano de 2020. Veremos se isto, de fato, acontecerá.

Fonte: IGN, The Verge
  • Redator: Pedro Henrique

    Pedro Henrique

    Formado em Informática e tecnólogo em Jogos Digitais, amante de games (principalmente os de corrida), curte uns hardwares e assim como Pink e o Cérebro, buscando o plano para dominar o mundo.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.