Créditos: Microsoft/ Reprodução

Xbox Series X tem 70% mais circulação de ar que o antecessor

Segredo está no conjunto projetado para manter um grande fluxo de ar interno

Em mais um texto da série em que segue destrinchando as entranhas e especificações do Xbox Series X, o pessoal do Digital Foundry detalha como a Microsoft chegou no design final do console e de que forma isso interferiu na solução térmica escolhida para dissipar todo o calor gerado pelo hardware. Segundo os engenheiros da empresa, o sistema de arrefecimento do novo videogame chega a ser 70% mais eficiente que de seus antecessores. 

Dentre os vários desafios inerentes à concepção de um projeto como o Series X, os arquitetos da Microsoft destacam o objetivo de manter as temperaturas baixas e com pouco ruído em um conjunto que oferece, no mínimo, o dobro da capacidade geral do Xbox One X.

Créditos: Eurogamer/ Reprodução

Uma das saídas encontradas foi fugir do padrão “comum”, e adotar um design que divide a placa-mãe em duas. “Ele cria o que chamamos de arquitetura de refrigeração paralela, para que você receba ar fresco - e fluxos de ar fresco através de zonas separadas do console", 
explica Jim Wahl, diretor de engenharia de hardware do Xbox.

Segundo ele, o modelo escolhido é eficaz porque as fontes de calor (como CPU, GPU e fonte) são distribuídas de forma não convencional, e isso acaba sendo eficaz para manter as temperaturas mais baixas. 

- Continua após a publicidade -

Créditos: Eurogamer/ Reprodução

"O interessante é que, se você olhar as gerações anteriores, sempre tivemos um pedaço de metal em torno dos (componentes) internos como uma gaiola", acrescenta Andres Hernandez, diretor de engenharia elétrica do Xbox. "Desta vez, tivemos que pensar um pouco fora da caixa. Temos blindagens localizadas, em vez de termos aquela enorme peça de blindagem de metal", diz.

Créditos: Microsoft/ Reprodução

Outro segredo está no fluxo de ar interno do Series X. Apesar do pouco espaço entre os componentes internos, foi “sacrificado” um grande espaço na parte do superior do console para que fosse possível comportar uma enorme e eficiente ventoinha capaz de gerar o fluxo de ar ideal. 

- Continua após a publicidade -

"O efeito final de juntar tudo isso, ter caminhos paralelos, ter uma ventoinha silenciosa realmente poderosa na parte superior, é que temos 70% a mais de fluxo de ar através deste console que a geração anterior, e 20% a mais de fluxo de ar somente através do dissipador de calor do que na geração passada " -  Jim Wahl, diretor de engenharia de hardware do Xbox

"O efeito final de juntar tudo isso, ter caminhos paralelos, ter uma ventoinha silenciosa realmente poderosa na parte superior, é que temos 70% a mais de fluxo de ar através deste console que a geração anterior, e 20% a mais de fluxo de ar somente através do dissipador de calor do que na geração passada " -  Jim Wahl, diretor de engenharia de hardware do Xbox

O Digital Foundry encerra com alguns questionamentos. Entre eles o consumo real de energia do Series X, o qual silencioso ele de fato será quando o hardware for puxado ao limite, e como seria o projeto do suposto Xbox Series S (Lockhart), caso ele realmente exista. 

Via: Eurogamer
  • Redator: Gabriel Tagarro

    Gabriel Tagarro

    Formado em jornalismo pela Universidade Castelo Branco, é apaixonado por games desde 1994, quando ganhou um Master System. Joga de tudo um pouco, seja no PC ou no console. Ama tecnologia e escreve com prazer sobre tudo que a envolve.

Qual você acha melhor?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.