Créditos: Montagem: Adrenaline

Intel responde a polêmica do RMA com a ChipArt

Confira na íntegra a resposta fornecida pela empresa
Por Diego Kerber 26/02/2020 19:02 | atualizado 26/02/2020 19:25 Comentários Reportar erro

Um RMA do pessoal da ChipArt ganhou muita repercussão recentemente. Como explicam no vídeo abaixo, um Intel Core i3-8100 que parou de funcionar e, de acordo com a ChipArt, teve sua garantia recusada pelo seguinte motivo:

"...entre as quais se especifica que a memória suporta é DDR4 2400, e a sua memória RAM é DDR4 2666, o qual forçou o controlador de memória dentro do processador, o mesmo que fazer overclock, lamentavelmente isso invalida a garantia de seu processador".

- trecho da resposta recebida pela ChipArt

Vocês podem conferir no vídeo abaixo a leitura desse trecho:

Ao montar a máquina com uma memória com operação de 2666MHz, o computador estava fora da especificação da Intel para o modelo Intel Core i3-8100, o que pode ser constatado no site oficial do produto. Devido essa especificação acima da frequência suportada pelo CPU em questão, a garantia estava invalidada, de acordo com a mensagem divulgada pela ChipArt.

O caso levantou muita controvérsia na comunidade ao entrar em choque direto com a prática de diversas empresas e inclusive da própria Intel, que valida memórias operando em frequências mais altas em iniciativas como o Intel Extreme Memory Profile, o XMP, e iniciativas como o Intel Performance Maximizer, que também atua alterando a frequência de operação de componentes e, dessa forma, invalidando sua garantia. A política também se aplica a AMD, que também invalida a garantia, ao menos na teoria, para consumidores que usam recursos com o Precision Boost Overdrive.

Apesar desse conflito latente, não havia notícias de problemas na obtenção do RMA de processadores, tanto com Intel quanto AMD, e nenhuma das duas dava sinal que iria recusar a garantia baseado no aumento de frequências de memória ou outras modificações leves no funcionamento através do overclock doméstico. O caso publicado pela ChipArt gerou esse tumulto justamente por mostrar possível mudança nesse sentido.

A Intel nos enviou o seguinte comunicado, aqui publicado na íntegra:

A Intel leva muito a sério todos os questionamentos de seus clientes, honrando suas obrigações e fornecendo a garantia de seus produtos, de acordo com seus termos e condições e com a legislação aplicável.

Em resposta às preocupações recentes, é verdade que vários sistemas (como desktops e notebooks) podem ser personalizados pelos fabricantes de PCs (OEM) ou pelos clientes e configurados com módulos de memória que suportam frequências excedendo a especificada para o processador da Intel. A capacidade de frequência do módulo de memória mais alta, por si só, não anula a garantia da Intel, a menos que o sistema esteja configurado para trabalhar numa frequência de memória mais alta do que a especificação do processador Intel.

Nossas informações sobre garantia de produtos estão documentadas e disponíveis em nosso website. Quando um sistema é configurado para alterar a frequência de memória padrão do processador por meio do Intel® Extreme Memory Profile (XMP) ou por qualquer outro meio, a garantia não é mais válida conforme declarado historicamente na nossa garantia do processador e na documentação XMP.

Para os clientes que desejam fazer overclocking, a Intel oferece o plano opcional Intel® Performance Tuning Protection Plan para determinadas SKUs, que cobre o processador em caso de falha por overclocking e deve ser adquirido separadamente. Para mais informações, incluindo a lista de SKUs elegíveis e termos e condições desse plano, visite https://click.intel.com/tuningplan/.

Posicionamento oficial Intel

Entramos em contato com revendas nacionais e as mesmas informaram que não tiveram problemas relacionados a RMA e uma situação semelhante com restrição de frequências de memórias utilizadas. Assim há a possibilidade do caso da ChipArt representar um caso isolado.

O site da Intel gera confusão por informar em alguns locais que existe a restrição de garantia ao utilizar perfils XMP, porém de acordo com o site informado no comunicado a garantia é dada utilizando perfis XMP em alguns modelos de processadores, ou seja, informações conflitantes que acabam deixando o consumidor confuso e gerando incertezas quanto a garantia dos processadores Intel. Outro ponto é que a garantia informada pelo comunicado acima precisa ser adquirida.

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você prefere?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.