Créditos: Wikimedia Commons

Governo chinês reduz taxas de importação de alguns bens dos EUA

Produtos eletrônicos devem ficar mais baratos em todo o mundo com a medida

O Governo da China anunciou que irá reduzir as tarifas de importação de alguns bens vindos dos Estados Unidos, incluindo desde carne de porco até peças para a produção de eletrônicos. Com isso, a expectativa é de que diversos produtos tecnológicos ficarão mais baratos em todo o planeta em breve.

De acordo com o comunicado emitido pelos chineses, são 859 itens que terão as suas taxas reduzidas a partir do dia 1º de janeiro. Como aponta a BBC, o Ministério das Finanças da China costuma manter os impostos bem caros para proteger as indústrias locais.

Só que, no momento, os chineses estão passando por uma Guerra Fiscal com os Estados Unidos, o que muda um pouco o panorama. Isso faz com que o Governo da China precise instituir essa redução de impostos, já que alguns dos produtos da lista estão em falta no país asiático.

Fonte: Bloomberg

Entre os produtos que tiveram seu imposto reduzido estão alguns semicondutores, que são usados para fabricar equipamentos de hardware como processadores, por exemplo. Também estão na lista matérias-primas para dispositivos de armazenamento de energia – no caso, as famosas baterias.

- Continua após a publicidade -

Os itens beneficiados pela decisão do Governo da China ainda incluem uma série de polímeros e plásticos que são usados na fabricação de produtos duráveis para consumidores. Há também equipamentos para captura de fotos e vídeos (componentes para câmeras) e matérias-primas para a fabricação de telas OLED e LCD.

  
Fonte: TechPowerUp

Os produtos contidos na lista totalizaram US$ 389 bilhões (R$ 1,5 trilhões) movimentados em importações durante o ano de 2018. Isso representa 18% de tudo que a China comprou no ano passado, que chega ao astronômico valor de US$ 2,1 trilhões (R$ 8,5 trilhões).

A decisão não é diretamente relacionada com a Guerra Fiscal que acontece entre China e Estados Unidos. Apesar disso, segundo a Bloomberg, o movimento do Ministério da Finança chinês demonstras que o governo do país asiático está disposto a incentivar o comércio entre as nações. Um dos motivos para isso seria evitar drásticas quedas no crescimento do PIB da China, que está previsto para 6% em 2020.

Via: BBC, TechPowerUp Fonte: Bloomberg
Assuntos
Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation 1. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia. Formado jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Qual os planos para hardware esse ano?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.