Créditos: Sony

FBI pediu à Sony dados de usuário que usou a PlayStation Network para vender cocaína

Usuário do PlayStation 4 supostamente fazia parte de uma rede de distribuição de cocaína
Por Fabio Rosolen 05/12/2019 09:29 | atualizado 05/12/2019 09:30 Comentários Reportar erro

Em outubro deste ano, o FBI solicitou um mandado de busca obrigando a Sony a fornecer dados de um usuário do PlayStation 4 que supostamente fazia parte de uma rede de distribuição de cocaína, de acordo com registros judiciais vistos pelo site Motherboard. O mandado também solicitou os nomes dos jogos que o suposto traficante jogava e seu progresso neles.

O caso gira em torno de Curtis Alexander, também conhecido como "Dola", que o FBI alega ter usado o serviço online do PlayStation para coordenar a venda de grandes quantidades de cocaína.

O mandado de busca mostra como as autoridades estão cada vez mais pedindo para as que empresas de console de jogos e as fabricantes de dispositivos conectados à Internet em geral forneçam dados sobre os usuários. "O Provedor é ordenado a divulgar as informações acima ao Governo no prazo de 14 dias da aplicação deste mandado", diz a solicitação do mandado de busca, apresentada em 22 de outubro no Distrito Oeste do Missouri. O mandado pode ser visto na íntegra aqui.

O caso gira em torno de Curtis Alexander, também conhecido como "Dola", que o FBI alega ter usado o serviço online do PlayStation para coordenar a venda de grandes quantidades de cocaína.

FBI pediu à Sony dados de usuário que usou a PlayStation Network para vender cocaína

"A CHS [Fonte Humana Confidencial] afirmou que a ALEXANDER estava cobrando US$ 34.000 por quilo de cocaína. A CHS afirmou que ALEXANDER utiliza o nome de usuário PlayStation 'Speedola20'", diz o mandado, referindo-se a um informante anônimo do FBI que ajudou a investigar Alexander. A CHS disse que Alexander entrou em contato através de um jogo para PlayStation 4 enquanto o informante jogava.

- Continua após a publicidade -

A parte que diz que ele entrou em contato enquanto o informante jogava faz referência à comunicação de áudio realizada durante a participação da CHS e de Alexander em um jogo multiplayer online. "Os investigadores acreditam que ALEXANDER provavelmente pensa que a comunicação de áudio durante o curso de sua participação em um jogo online é segura. Como tal, ALEXANDER provavelmente acredita que ele pode usar a comunicação de áudio durante o jogo para PlayStation para organizar os detalhes de uma transação de drogas", diz o mandado.

O FBI e a CHS passaram a preparar uma armadilha, com a agência monitorando Alexander enquanto ele vendia um saco com cerca de 100 gramas de um pó branco por US$ 4.400, com Alexander dizendo em seguida à CHS ele queria falar come ela novamente mais tarde naquela noite no "jogo", acrescenta o documento do tribunal.

O nome do jogo que Alexander supostamente usou não foi divulgado, e não há nenhuma indicação no aplicativo que a comunicação no jogo estava sendo gravada pelo jogo em si ou pela Sony. Mas Alexander supostamente falou com a CHS através do próprio serviço de mensagens da PlayStation Network, que permite aos usuários enviar mensagens de texto ou mensagens de voz.

Com isso em mente, o FBI pediu essencialmente todas as informações que a Sony pode ter mantido sobre o usuário. Não foi confirmado se a Sony forneceu os dados, mas a solicitação incluiu o conteúdo de todas as comunicações associadas à conta da PlayStation Network, "incluindo cópias armazenadas ou preservadas de emails, bate-papos ou outras mensagens enviadas de e para a conta, rascunhos de mensagens, a data e hora em que cada item foi enviado, e o tamanho e a duração de cada um", de acordo com a solicitação de mandado de busca.

- Continua após a publicidade -

O FBI também solicitou todos os registros relacionados à identificação da conta, como nome, endereço físico, números de telefone, quaisquer senhas associadas à conta, perguntas e respostas de segurança e informações técnicas, como o endereço IP usado para registrar e entrar na conta. Outras informações solicitadas incluem os jogos jogados pelo acusado e seu progresso neles.

Esta não é a primeira vez que a Sony é solicitada a fornecer informações de usuários. A Forbes noticiou em 2017 que o FBI solicitou um mandado de busca pedindo dados de um usuário envolvido em uma investigação relacionada ao terrorismo.
 

Fonte: VICE
  • Redator: Fabio Rosolen

    Fabio Rosolen

Qual os planos para hardware esse ano?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.