Créditos: Toms Guide/ Reprodução

Desenvolvedores terão que trabalhar em jogos para sete consoles a partir de 2020

É videogame que não acaba mais

A decisão de Microsoft e Sony de lançar consoles mid-gen – Xbox One X e Playstation 4 Pro – ainda que tenha dividido as opiniões dos jogadores à época do lançamento de ambos, já se tornou um marco na indústria dos jogos. O fato, contudo, também trará outra consequência: a partir de 2020, quando PS5 e Project Scarlett chegarem ao mercado, desenvolvedores terão que trabalhar pensando em versões de seus games para sete consoles.

A próxima geração será um pouco diferente de suas antecessoras. Enquanto que, no passado, era praticamente acionado um botão de reset, com os jogadores abandonando seus games e acessórios da plataforma anterior após o “upgrade”, PS5 e Project Scarlett terão grande compatibilidade com seus irmãos mais velhos. Entre informações confirmadas oficialmente e vazamentos, sabe-se, por exemplo, que haverá retrocompatibilidade. Também já foi revelado recentemente que o próximo console da Microsoft terá compatibilidade com todos os controles do Xbox One.

Tendo como base o aparente objetivo de Sony e Microsoft, de unir as gerações, provavelmente serão bem comuns, ao menos nos primeiros anos, os lançamentos cross-gen. Por conta disso, neste período de transição, os desenvolvedores farão jogos para sete consoles (ou oito plataformas se incluirmos o PC): Xbox One, Xbox One S, Xbox One X, Project Scarlett, PC, Playstation 4, PlayStation 4 Pro e PlayStation 5.

Por mais que guardem semelhanças, há diferenças de hardware entre todos eles. Um ponto a favor é a mudança para a arquitetura x86, que possivelmente será um grande trunfo para esse suporte entre gerações.

- Continua após a publicidade -

A quantidade de eventuais problemas depende inteiramente das ferramentas e softwares que Sony e Microsoft fornecem aos desenvolvedores e a flexibilidade dos sistemas de nova geração.

Outro ponto a se levar em consideração é a condição dos atuais consoles, que muito dificilmente seriam abandonados. De um lado temos o PS4, com mais de 100 milhões de unidades vendidas – uma base grande demais para ser desperdiçada. Na outra ponta, o Xbox One reconquistou seus fãs com uma política de maior proximidade com a comunidade e ganhou muito espaço com serviços como Game Pass e retrocompatibilidade.

Via: TweakTown
  • Redator: Gabriel Tagarro

    Gabriel Tagarro

    Formado em jornalismo pela Universidade Castelo Branco, é apaixonado por games desde 1994, quando ganhou um Master System. Joga de tudo um pouco, seja no PC ou no console. Ama tecnologia e escreve com prazer sobre tudo que a envolve.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.