Falha de energia em fábrica da WD deve reduzir em 6 exabytes a sua produção de NAND

A Western Digital anunciou que espera acabar produzindo um total de 6 exabytes a menos de memórias NAND flash no início do próximo ano. O motivo para isso, segundo a empresa, foi uma falta de energia que teria ocorrido no dia 15 de junho numa fábrica conjunta que opera tanto para  WD como para a Toshiba

Conforme afirma a WD, a fábrica, que se situa na região de Yokkaichi, no Japão, teria ficado 13 minutos sem energia, o que foi suficiente para afetar o equipamento não apenas naquele momento, mas algumas máquinas ainda não teriam retomado sua funcionalidade normal até agora. E é isso que deve resultar numa produção reduzida de memórias NAND. Para referência, 1 exabyte representa 1.000 petabytes, o que dá 1 milhão de terabytes. Ou seja, serão mais ou menos 6 milhões de terabytes a menos de memórias chegando ao mercado.

Economistas esperam que essa redução na produção impacte nos preços dos produtos finais. Os valores para 2D NAND devem subir, enquanto produtos 3D NAND (como a maioria dos SSDs) devem ter suas quedas no preço estagnadas ou, pelo menos, reduzidas. O impacto deve ser "sentido" no primeiro trimestre de 2020, segundo a WD.

Os preços das memórias SSD e NAND podem cair mais de 50% até o final de 2019

Como a queda de energia não afetou apenas a Western Digital, mas a Toshiba também, a empresa afirma que as duas estão trabalhando juntas para normalizar a situação o mais rapidamente possível. 

- Continua após a publicidade -

Consumidores mais conspiracionistas, no entanto, têm enxergado a falta de energia como uma possível falha proposital justamente para conter as quedas nos preços de memórias, que durante muito tempo ficaram em alta depois de problemas de suprimento e estavam enfim voltando a cair este ano.


Créditos de imagens: Business Wire

Fonte: Guru3D
Assuntos
Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.