ReShade ganha filtro que permite colocar "Ray Tracing" em qualquer jogo; Veja como fica em Crysis

Nós já falamos aqui no Adrenaline sobre o ReShade, um software capaz de analisar e trazer mais opções de configurações gráficas para os games. Agora, o programa recebeu uma nova funcionalidade que promete torná-lo ainda mais potente: um filtro de iluminação global que funciona em qualquer jogo. Ou seja, dá pra colocar uma espécie de Ray Tracing sem muita dificuldade nos games, e o pessoal do Digital Foundry escolheu um baita título para fazer o teste: o primeiro Crysis.

Como era de se esperar de uma ferramenta mais abrangente, o Path Tracing utilizado no filtro do ReShade não é tão polido como a tecnologia de iluminação utilizada nesse mod de Minecraft. Porém, como mostram os testes do Digital Foundry, a novidade consegue dar um grande boost nos gráficos do game.

De acordo com Pascal Gilcher, o cara por trás do filtro de iluminação global do ReShade, a ferramenta está em desenvolvimento há cerca de um ano e o resultado mostrado durante o gameplay de Crysis é o alpha da funcionalidade

Mesmo ainda estando em desenvolvimento, a ferramenta já pode ser acessada por quem apoia o Patreon do desenvolvedor com US$ 20 mensais. Eventualmente, a tendência é que o recurso seja liberado para todos os usuários do ReShade.

Simulando ray tracing


Imagem: Digital Foundry

O pessoal do Digital Foundry colocou o filtro para funcionar no primeiro Crysis, de 2007, junto com um mod experimental que traz suporte para multiplayer cooperativo ao game, tudo rodando em uma RTX 2080 Ti da Asus ROG. Como eles mostram nas imagens, ligar o modo de iluminação global não é nada difícil, basta acessar as opções do ReShade.

Durante os testes, os especialistas explicaram como funciona a tecnologia do filtro do ReShade, que está longe de ser tão aprofundada quanto os resultados vistos em games com suporte para o Ray Tracing da Nvidia, ou o já mencionado mod de Minecraft.

O filtro de path tracing do ReShade não traz o ray tracing em si para o jogo, uma vez que o programa não consegue acessar dados geométricos do game ou necessita de tecnologias específicas para o processamento da tecnologia, como os RT Cores.

A mágica feita pelo software é simular o Path Tracing utilizando shaders tradicionais para aprimorar a iluminação global. Graças a essa abrangência, e ausência de aprofundamento, a funcionalidade pode ser utilizada em diversos games e sem causar tanto impacto na performance.

De acordo com a galera do PC Gamer, a tecnologia de Pascal Gilcher utiliza os dados de espaço da tela para oferecer uma experiência próxima do que é o Ray Tracing. Ainda assim, fica claro que a novidade é capaz de trazer grandes melhorias gráficas para reviver jogos mais antigos, como é o caso do primeiro Crysis.

E aí, seu PC roda Crysis com Ray Tracing?

Tags
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

Qual vai ser o melhor game de abril de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.