Supermicro vai fechar fábrica na China e irá produzir seus componentes em Taiwan

A Supermicro, fabricante de placas-mãe, está oficialmente mudando completamente o local de fabricação de seus produtos, vai tirar a sua fábrica da China ir para Taiwan. Essa atitude da empresa vem depois de ser acusada pelo site Bloomberg de que suas placas eram projetadas para espionar empresas dos EUA, e extrair informações para fornecer os dados para o governo Chinês.

Supermicro rebate acusações de chip espião em suas placas-mãe

Depois da acusação a empresa teve um declínio de vendas de até 10%, e mesmo que a Supermicro tenha negado as informações, a sua reputação ficou em baixa. A estratégia de tirar a fábrica da China não foi motivada apenas pela suspeita de espionagem, mas também foi para reduzir a carga tarifária de importação imposta pelo governo dos EUA sobre os produtos eletrônicos fabricados na China.

A Supermicro vai seguir com a sua produção, mas agora com sede em Taiwan, a empresa vai investir em uma fábrica totalmente nova que vai ser instalada em Taoyuan. O investimento final que a empresa vai bancar nesse processo é de cerca de US$65 milhões.

Em 2017 a China tinha a manufatura de produção de 90% das placas-mãe enviadas para todo o mundo. Depois da eleição de Donald Trump e com a "guerra comercial" entre EUA e China, a porcentagem de placas distribuídas para o mundo saindo da China em 2018 caiu para 50%. Os fabricantes estão optando para instalar as suas fábricas em países como: Taiwan, Vietnã e Malásia.

Via: TechPowerUp
Tags
  • Redator: Ana Luiza Pedroso

    Ana Luiza Pedroso

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.