Ações da Intel caem após relatório cheio de más notícias, mas 10nm estão indo para frente

Bob Swan apresentou seu primeiro relatório financeiro trimestral como CEO da Intel e não teve muita sorte: boa parte dos números da empresa caíram em comparação ao ano passado, quando a companhia bateu recordes. Após a apresentação, o valor das ações da fabricante de chips chegou a cair 7%, segundo informa a CNBC.

A empresa teve renda de US$ 16,06 bilhões nos primeiros três meses de 2019, número que se manteve dentro das expectativas dos analistas, mas registrou quedas em diversos setores, como data centers e soluções corporativas. O lucro da companhia no período foi de US$ 3,97 bilhões, 11% menor do que em 2018.


Bob Swan, o CEO da Intel. Imagem: Barrons

Além de apresentar os números do trimestre, Bob Swan também deu algumas más notícias para os investidores: a companhia revisou sua previsão de renda anual e, pela primeira vez em três anos, diminuiu suas expectativas de ganhos para o ano. Enquanto antes a fabricante esperava fechar 2019 com US$ 71,05 bilhões, o número caiu 3% e, agora, a empresa prevê uma receita de US$ 69 bilhões.

Além disso, a Intel também deu mais detalhes sobre o fim de sua investida no mercado de 5G para smartphones, após a Apple fechar uma parceria inesperada com a Qualcomm. Além de desistir do novo padrão para dispositivos móveis, a empresa disse que está conduzindo uma "avaliação estratégica" para decidir seus próximos passos nesse setor com soluções voltadas para PCs e Internet das Coisas.

Chips em 10nm chegam ainda este ano 

- Continua após a publicidade -


Imagem: Intel

Apesar da tempestade de bad news, o setor de processadores ainda está trazendo alegrias para a companhia e seus investidores. O segmento de PCs da empresa, que engloba o negócio de CPUs, cresceu 4% em relação ao ano anterior, e mesmo com as baixas expectativas para 2019, a fabricante finalmente deve colocar seus produtos de 10nm no mercado.

De acordo com o CEO Bob Swan, a companhia está confiante com a arquitetura de 10nm e os chips Ice Lake devem entrar em fabricação em massa antes do que o previsto. O objetivo da Intel é trazer produtos equipados com os novos processadores até o final de 2019, a tempo dos feriados de fim de ano.

Além da fabricação dos chips para consumidores estar avançada, Swan também afirmou que os produtos Ice Lake para servidores também estão sendo desenvolvidos com folga e devem chegar antes do que o previsto inicialmente em 2020.

Via: Toms Hardware
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.