Exército firma parceria com a Panda

O Exército Brasileiro assinou uma parceria de dois anos com a desenvolvedora de soluções de segurança Panda Security, uma das maiores empresas mundiais de softwares anti-malware, e a segunda maior do mercado brasileiro. O acordo de 292 mil reais terÁ duração de dois anos, e inclui capacitação de 750 funcionÁrios do exército, visita de representantes militares brasileiros aos centros de desenvolvimento da Panda, e 37,5 mil licenças do software Panda Security for Enterprise. A parceria engloba a troca de conhecimento no combate a cibercrimes, entre o laboratório de tecnologia avançada em cibersegurança da Panda (PandaLabs), e o Centro de Comunicação e Guerra Eletrônica do Exército (CCOMGEX).


Juan Santana com o Panda Enterprise, ao lado do general Guerra e diretores regionais do Panda

O novo contexto dos crimes digitais trazem preocupações que envolvem mais do que um pequeno grupo de indivíduos, englobando populações e até mesmo nações inteiras. "As ferramentas usadas pelos hackers não são mais para buscar fama e notoriedade, e sim espionar ou roubar dados, ou destruir comunicações através de armas cibernéticas", explica Eduardo D'Antona, diretor da Área corporativa da Panda Brasil. "Posso pensar isto do ponto de vista civil, com um ataque a uma rede de um banco, e do ponto de vista militar, imaginando as redes de comunicação do exército sendo derrubada, ou dados sendo roubados".

Este é não é parceria que a Panda firma com organizações de defesa em estados. A empresa jÁ trabalhava em conjunto com forças governamentais, especialmente com forças policiais de toda a União Europeia. "A cooperação tem que ser internacional, e envolver legislação de diversos países. Hoje, uma ameaça não é criada no mesmo país onde realiza o ataque. Um software malicioso que ataca os Estados Unidos, é fabricado no leste europeu, por exemplo", explica Juan Santana, CEO da Panda Security. "A legislação deve tratar o cibercriminoso como um bandido. É como aquele que lhe assalta com uma arma no meio da rua. A diferença é que ele ataca pela internet".

Crescimento do setor

"O setor estÁ 'quente'", brinca Santana, questionado sobre o desenvolvimento do setor de solução de segurança. Para o CEO, grandes aquisições de empresas de tecnologias anti-malware, como a compra da McAfee pela Intel pelo valor de 7,68 bilhões de dólares, mostram que o as empresas da Área estão agregando valor rapidamente. "A segurança estÁ ganhando um destaque no mercado de tecnologias. Empresas que antes não participavam do segmento, estão entrando no setor". Segundo dados da diretoria da Panda Brasil, o mercado de soluções de segurança cresce a ritmo de 60% ao ano no Brasil, e que o software da companhia tem apresentado crescimento de 100% ao ano no país.

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Escolha sua arma:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.