Chineses são as maiores vítimas do cibercrime, diz Symantec

Apesar de ser um país com diretrizes rígidas de controle da Internet, a China é o país que mais sofre com crimes eletrônicos, com um índice de 83%, seguida pelo Brasil e pela Índia, empatados com 76%.

Os dados são do Relatório de Crimes Cibernéticos Norton, resultado de uma pesquisa realizada pela Symantec com sete mil pessoas de 14 países.


O estudo ainda mostra que a maioria dos crimes estÁ relacionada a malware, com 51% das ocorrências. A porcentagem restante divide-se entre golpes online, phishing, roubo de perfis em redes sociais, fraudes online de cartão de crédito e assédio sexual.

Para três a cada dez vítimas, o maior incômodo é o tempo para resolver os crimes. Conforme o relatório, leva-se, em média, 28 dias para solucionar os problemas e o impacto financeiro médio é de US$334. O Brasil aparece com números muito acima da média. Por aqui, são necessÁrios cerca de 40 dias para amenizar os danos causados e o prejuízo chega a US$1400.

No mundo todo, 65% das pessoas pesquisadas jÁ foram vítimas de algum tipo de crime na Internet, enquanto 31% afirmaram nunca ter encontrado uma solução. Apenas 9% se sentem seguras na web, ao passo que 3% simplesmente não acredita que possa ser vítima de alguma atividade maliciosa. 

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Devem existir lançamentos de chips com melhorias na mesma arquitetura

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.