Caixas de loot são porta de entrada para jogos de azar, conclui Reino Unido

O órgão governamental do Reino Unido, Gambling Commission ("Comissão de Apostas", em tradução livre), conclui através de um estudo que caixas de loot em videogames são uma porta de entrada para jogos de azar. Segundo eles, cerca de 1 milhão de crianças no Reino Unido foram expostas a esse risco por causa de games com essa funcionalidade.

De acordo com a emissora de rádio e televisão pública britânica, BBC, a quantidade de garotos e garotas com problemas de vícios relacionados a apostas se multiplicou por 4 nos últimos 2 anos. Isso significa que mais de 50.000 crianças possuem dificuldades em se controlar frente a jogos de azar.

"Não há dúvidas de que os valores de crianças e apostas devem fazer as pessoas sentarem e ouvirem. Mas enquanto as discussões sobre apostas de crianças pode conjurar imagens de crianças esgueirando-se até agenciadores de apostas ou sentadas sozinhas com seu iPad apostando num Casino online, nossa nova pesquisa pinta uma imagem mais complexa".
- Tim Miller, diretor executivo da Gambling Commission

A pesquisa da Gambling Commission ainda sugere que 450.000 jovens entre 11 anos e 16 anos realizam apostas de maneira regular. Isso é mais do que a quantidade de crianças e adolescentes que usa drogas, fuma ou ingere álcool. As maneiras mais comuns de jogos de azar nessa faixa etária incluem apostas com amigos, máquinas caça-níquel e raspadinhas.

"As atividades mais comuns onde as crianças apostam não são em Casinos licenciados, bingos ou agenciadores de aposta. Ao invés disso, verificamos que as crianças preferem apostar em ambientes informais, fora da vista da regulação – apostas privadas entre amigos ou jogando cartas com seus colegas por dinheiro".
- Tim Miller, diretor executivo da Gambling Commission

Via: BBC, VG247
Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Qual o seu palpite para os preços dos consoles da próximo geração?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.