Nvidia libera comparativos de performance das RTX 2080 (Turing) vs GTX 1080 (Pascal)

Ontem a Nvidia enfim apresentou sua nova geração de placas de vídeo para gamers com a apresentação das RTX 2080 Ti, RTX 2080 e RTX 2070 baseadas na microarquitetura Turing. No evento a empresa focou muito nas capacidades do RT Cores em entregar novos recursos como Ray Tracing, mas não foi muito a fundo no comparativo de desempenho comparado a geração anterior, algo que agora é complementado com alguns dos primeiros testes de desempenho publicados pela própria empresa.

No comparativo direto com a GTX 1080, a sucessora RTX 2080 foi capaz de entregar próximo de 2x o desempenho em alguns títulos, em outros o ganho foi na casa dos 50%. Importante notar que a empresa fez questão de utilizar a configuração em HDR, trazendo o indicativo que possivelmente as Turing estão mais preparadas para essa tecnologia, algo relevante considerando críticas ao desempenho das GeForces no impacto de desempenho nessa configuração. Os principais saltos acontecem quando entra em ação o DLSS.

O DLSS é uma das tecnologias que exploram os Tensor Cores disponíveis nas placas baseadas em Turing. Essa porção do chip tem a função de realizar processos de redes neurais complexas de forma ágil, tornando viável o Deep Learning Super-Sampling (DLSS), uma tecnologia que aplica a IA para renderizações, inclusive suavizando bordas e substituindo as técnicas tradicionais de antisserilhado. Os maiores saltos em desempenho aconteceram quando o jogo disponibilizava o DLSS foi possível substituir os tradicionais filtros AA pela nova técnica acelerada pelos Tensor Cores.

- Continua após a publicidade -

Em termos de performance a RTX 2080 está sendo indicada como um produto capaz de encarar a resolução 4K com HDR em uma taxa de 60FPS, com diversos títulos alcançando esse nível de desempenho de acordo com a Nvidia. Isso mostra outro salto de desempenho já que a GTX 1080 até é capaz de rodar jogos nessa resolução, porém em uma taxa de quadros mais próximo dos 30 a 45FPS.

  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.