Monster Hunter World no PC vai desafiar o seu processador - Capcom explica o porquê

Com o lançamento do port de Monster Hunter World no PC se aproximando, já começaram a aparecer alguns testes e comparativos do game rodando na plataforma e o consenso geral tem sido de que ele é um tanto pesado. A informação agora foi confirmada pela própria Capcom, que explicou porque o jogo é tão exigente com o processador:

"Para eliminar loadings durante o gameplay, MHW carrega todo o nível na memória. Além de gerenciar os recursos carregados na memória, o processador mantém atualizadas as interações entre monstros, status de saúde, mudanças de objetos e ambiente, gerencia o nível de detalhamento (LOD) e contagem de objetos, calcula detecção de colisões e simulação de física, e toneladas de outras coisas de telemetria do background que você não vê, mas que exigem ciclos da CPU. Isso, além de suportar quaisquer tarefas de renderização da GPU."

"Para eliminar loadings durante o gameplay, MHW carrega todo o nível na memória. Além de gerenciar os recursos carregados na memória, o processador mantém atualizadas as interações entre monstros, status de saúde, mudanças de objetos e ambiente, gerencia o nível de detalhamento (LOD) e contagem de objetos, calcula detecção de colisões e simulação de física, e toneladas de outras coisas de telemetria do background que você não vê, mas que exigem ciclos da CPU. Isso, além de suportar quaisquer tarefas de renderização da GPU."

A declaração acima veio de William Yagi-Bacon, vice-presidente da Capcom nos EUA na parte de marketing e plataformas digitais. Ele falou da engine do jogo, a MT Framework, no fórum Resetera. Ele explicou ainda que o motor gráfico é um tanto "agnóstico" em relação a plataformas, o que significa que os incrementos de performance no PC não devem ser tão grandes em relação ao console.

"Enquanto a engine MT Framework esteve por aí há anos, ela faz um bom trabalho em distribuir os ciclos da CPU e balancear o carregamento de tarefas em todos os núcleos e threads disponíveis. A engine em si é otimizada para instruções em x86, é altamente escalável e, falando de maneira geral, é agnóstica de plataforma em relação a PC ou console, desde que as instruções sejam em x86."

"Enquanto a engine MT Framework esteve por aí há anos, ela faz um bom trabalho em distribuir os ciclos da CPU e balancear o carregamento de tarefas em todos os núcleos e threads disponíveis. A engine em si é otimizada para instruções em x86, é altamente escalável e, falando de maneira geral, é agnóstica de plataforma em relação a PC ou console, desde que as instruções sejam em x86."

Testes da PC Gamer mostraram que o jogo realmente é exigente, especialmente em resoluções maiores. Um Core i7-7700K junto com uma GTX 980 Ti não deram conta de rodar o jogo em 3840 x 2160p, com o framerate flutuando entre 20 e 30fps. O site afirma, no entanto, que há muitas opções gráficas e é possível encontrar configurações para uma performance satisfatória e compatível com seu hardware.

Monster Hunter World chega ao PC no dia 9 de agosto.

Via: TechPowerUp Fonte: Resetera, PC Gamer
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Qual os planos para hardware esse ano?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.