Ameaças virtuais usam goleiro Bruno e Larissa Riquelme como isca

A grande discussão em torno do goleiro Bruno Fernandes, do Flamengo, acusado de homicídio, motivou criminosos virtuais a usarem notícias relacionadas ao caso como um artifício para propagar códigos maliciosos.

O chamado "Caso Bruno" foi amplamente utilizado como isca para malwares no Brasil, totalizando mais de 100 domínios utilizados para esse fim, de acordo com a companhia de segurança ESET.



Além disso, a notícia do ensaio sensual da modelo paraguaia Larissa Riquelme também foi muito explorada para a difusão de códigos maliciosos através de técnicas de Black Hat SEO. Isso significa que os resultados de pesquisas pelo tema podem apresentar links maliciosos nas primeiras posições do ranking, o que exige cuidado do usuÁrio ao acessar pÁgina através dos mecanismos de busca.

"Qualquer tema ou evento que tome interesse público, atraindo a atenção da mídia e das pessoas, é explorado por criminosos virtuais como um método para espalhar diversos tipos de códigos maliciosos", afirma Jorge Mieres, Analista de Segurança da ESET América Latina.

Ranking de ameaças
A ESET também divulgou uma lista dos malwares mais propagados durante o mês de julho. O Win32/Conficker permanece no topo pelo décimo mês consecutivo, com 12,47% das detecções totais, seguido do INF/Autorun, especializado em infectar mídias removíveis, com 5,90%.

Ligações fraudulentas
Durante o mês de julho, a equipe da ESET Inglaterra descobriu um golpe diferente, aplicado através do telefone. A pessoa que ligava identificava-se como representante de uma empresa reconhecida e alertava a vítima sobre um suposto malware em seu computador, e oferecendo ajuda para instalar um software antivírus mediante pagamento.

Por enquanto, esse tipo de ataques ainda não foi detectado na América Latina. "No entanto, é comum que os incidentes que ocorrem em países desenvolvidos da Europa ou dos Estados Unidos, em seguida sejam replicados em nosso continente", alerta Sebastian Bortnik, Analista de Segurança ESET para América Latina. "É por isso que sempre atentamos aos usuÁrios sobre as tendências e novas ameaças que surgem em diferentes partes do mundo. Um usuÁrio experiente tem menos possibilidades de ser vítima de ataques cibernéticos que podem ocorrer", conclui.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Qual vai ser o melhor game de outubro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.