Crytek processa estúdio de Star Citizen por supostamente continuarem usando a CryEngine

A Crytek está processando os estúdios por trás do desenvolvimento de Star Citizen e Squadron 42, chamados CIG e RSI, ambos co-fundados por Chris Roberts, criador da franquia Wing Commander e principal nome por trás dos novos jogos. A empresa dona da CryEngine afirma que seu motor gráfico continuou sendo usado mesmo depois dos desenvolvedores dos games afirmarem que passaram para a Amazon Lumberyard e alega ainda que foram feitas mudanças ilegais na engine.

Para contextualização, todo o desenvolvimento começou com Star Citizen, na CryEngine 3. Conforme o jogo ficou cada vez maior (ganhando cada vez mais dinheiro), ele se tornou dois títulos no mesmo universo: Star Citizen focado no multiplayer e Squadron 42, para uma experiência de campanha, focado na história. Em dezembro do ano passado, os estúdios CIG e RSI anunciaram uma nova parceria com a Amazon para passar a usar sua engine, a Lumberyard. A Crytek afirma que, na verdade, os estúdios ainda estão usando a CryEngine 3, pelo menos partes dela, sem dar os devidos créditos e sem divulgar de maneira apropriada as mudanças que estão sendo feitas no motor gráfico, o que era parte do acordo. A Lumberyard é um "braço" da CryEngine que a Amazon comprou para si, o que pode complicar um pouco mais as coisas.


Chris Roberts (atrás)

Não só isso, agora que são dois jogos usando basicamente o mesmo código, isso configuraria usar a engine duas vezes, o que seria um rompimento ainda maior do contrato. Os estúdios por trás de Star Citizen fizeram a seguinte declaração ao Polygon:

"Nós sabemos da reclamação da Crytek que foi registrada na Corte Distrital dos EUA. O CIG não usa a CryEngine há um bom tempo já que passamos para a Amazon Lumberyard. Isso é um processo sem mérito e vamos nos defender vigorosamente contra, inclusive recuperando da Crytek quaisquer custos que incorram nessa disputa."

"Nós sabemos da reclamação da Crytek que foi registrada na Corte Distrital dos EUA. O CIG não usa a CryEngine há um bom tempo já que passamos para a Amazon Lumberyard. Isso é um processo sem mérito e vamos nos defender vigorosamente contra, inclusive recuperando da Crytek quaisquer custos que incorram nessa disputa."

Se o game estiver realmente usando ainda a CryEngine e a Justiça determinar que remova todos os elementos da propriedade intelectual da Crytek, podemos ver um imenso atraso neste game que está em desenvolvimento há anos e fazendo inúmeras promessas para os usuários que investem nele. Promessas que ainda não foram cumpridas.

Fonte: Polygon
Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.