EUA acusa fabricante de drones DJI de fornecer dados para China

A fabricante chinesa de drones DJI foi acusada pelos Estados Unidos de enviar informações sensíveis para o governo para a China. Segundo informações do The New York Times, o Gabinete de Imigração e Alfândega de Los Angeles lançou um documento em agosto em que acusa a empresa de "fornecer informações críticas de infraestrutura e dados de segurança dos Estados Unidos para o governo chinês". A empresa aponta que o governo não possui provas para fundamentar as acusações feitas.

Conheça toda a linha de drones da DJI

A DJI tem base na China e atualmente é a empresa mais popular no ramo de drones mundialmente, sendo a marca de dois terços de todos os veículos não tripulados vendidos. De acordo com a documentação do gabinete, que cita uma "fonte confiável" não identificada para fazer as acusações, os produtos da empresa fazem upload automático de informações e imagens capturadas para um servidor em nuvem localizado em Taiwan, onde o governo chinês poderia acessar o conteúdo.

O documento também cita que em abril de 2016, durante uma coletiva de imprensa, a empresa disse que estava aberta a negociar com a China, que costuma banir companhias que não seguem as normas do governo, algo que aconteceu recentemente com o Skype. A possibilidade de colaboração com o governo chinês serviu como combustível para os conflitos com os Estados Unidos.

A DJI chegou a perder uma parceria com o exército dos Estados Unidos, que deixou de utilizar os produtos da companhia por causa das supostas "vulnerabilidades cibernéticas". O anúncio foi feito em agosto, mesmo mês em que o documento do Gabinete de Imigração e Alfândega foi revelado.

- Continua após a publicidade -

Recentemente, a DJI lançou um comunicado oficial dizendo que as informações divulgadas pelo Gabinete são "claramente baseadas em acusações enganosas e falsas" e deviam ser checadas. Além disso, a companhia ressalta que o governo estadunidense não mostrou nenhuma prova do que disse, o que torna as alegações infundadas.

"As alegações no documento são tão erradas que o Gabinete de Imigração e Alfândega deveria considerar retirá-las, ou pelo menos corrigir suas afirmações insuportáveis"

"As alegações no documento são tão erradas que o Gabinete de Imigração e Alfândega deveria considerar retirá-las, ou pelo menos corrigir suas afirmações insuportáveis"

Em relação ao rompimento com o exército, a empresa ressaltou que o próprio governos dos Estados Unidos emitiu mais de 300 certificados de aeronavegabilidade para os drones da DJI, garantindo que os produtos eram seguros para uso em missões.

Falando para a BCC em agosto, a DJI disse que não tem acesso a informações captadas pelos drones, apenas se o usuário compartilhe voluntariamente imagens ou vídeos pelo aplicativo Go. A companhia também anunciou o desenvolvimento de um modo offline para seus produtos, onde o veículo aéreo não tripulado fica sem conexão com a internet para garantir que informações nenhuma seja compartilhada. 

- Continua após a publicidade -

Segundo o New York Times, todas as alegações tem como base os drones voltados para uso profissional e militar, logo, as acusações não decaem sobre os modelos da DJI utilizados por consumidores em geral.

Os drones já tomaram o Brasil?
Veja nossa entrevista com a DJI

Apesar dos conflitos com o governo dos Estados Unidos, a empresa constantemente vem trabalhando para lidar com a questão da privacidade dos usuários comuns. Neste ano, a companhia lançou um sistema de monitoramento de drones que consegue captar informações em pleno voo à curta distância, com o objetivo de tornar espaços aéreos restritos mais seguros.

Visando melhorar a segurança dos dados dos usuários, a empresa também lançou um programa de cadastro voluntário, onde apenas quem quiser se identificar pode fornecer dados detalhados para o sistema de monitoramento.

Via: NY Times
Tags
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.