Intel irá remover suporte ao Legacy BIOS em 2020

A Intel prepara caminho para desabilitar em definitivo o Legacy BIOS, ou BIOS Legado em tradução livre, de acordo com uma apresentação de Brian Richardson,  desenvolvedor evangelista da Intel. O modo legado na BIOS utiliza a antiga tecnologia baseada em 16-bit, necessária para alguns softwares mais antigos ou por usuários mais avançados que criam sistemas com múltiplos sistemas operacionais simultaneamente.

Apesar de ainda em uso, desabilitar o suporte a BIOS legado, parando de usar o Compatibility Support Module (CSM), é importante pois evita problemas de segurança. Ao não utilizar tecnologias do padrão UEFI para realizar o boot, torna a validação mais complicada ao criar necessidade de validar dois métodos, aumenta o tamanho e complexidade da BIOS e pode trazer problemas de compatibilidade com futuras tecnologias que não tragam suporte.

Segundo a apresentação de Brian, há melhorias por parte dos fabricantes e desenvolvedores de software para tornar essa migração possível. A principal é garantir ferramentas eficientes de recuperação e instalação do sistema que retirem a necessidade do usuário de habilitar o CSM e fazer as correções. Outra prioridade para possibilitar a migração é garantir que nenhum driver ou hardware ainda dependa do Legacy BIOS para operar.

UEFI (Unified Extensible Firmware Interface) foi desenvolvido com o intuito de ser um sistema muito mais rápido e seguro para inicializar o sistema operacional, com ferramentas avançadas que possibilitam reparar remotamente um computador, mesmo que ele não possua nenhum sistema operacional instalado. Apesar dessas vantagens, o UEFI costuma ser apontado como o primeiro vilão quando uma instalação de um sistema não funciona, e costuma ser rapidamente desabilitado por muitos. Separei uma coletânea de tweets recentes de pessoas lidando com esse problema, para seu entretenimento:

- Continua após a publicidade -

 

Entre os mitos principais estaria a teoria que o UEFI surge como uma pressão da Microsoft pois faria sistemas Linux não operarem, o que não se justifica já que existe suporte ao UEFI em "sistemas do pinguim", e a cooperação que desenvolve o UEFI tem participação da Microsoft e também de empresas relacionadas ao desenvolvimento de sistemas baseados em GNU/Linux, como  SUSE, Red Hat e CoreOS.

Via: Tweakers Fonte: "Last Mile" Barriers to Removing Legacy BIOS (PDF)
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.