Raspberry Pi 3 chega ao Brasil em cor azul por R$ 199,90

O comércio do Raspberry Pi 3 no Brasil foi aprovado pela Anatel, e agora o mini computador pode ser comprado, por enquanto, no site da revendedora FilipeFlop neste link. Os modelos disponíveis incluem Raspberry Pi Zero W (R$ 79,90) e Raspberry Pi A+ 512MB (R$ 189,90), com o modelo Raspberry Pi 3 Model B Anatel que chegou por R$ 199,90

O comunicado oficial da Raspberry menciona que muitos compradores brasileiros indicaram dificuldade de adquirir os produtos da marca. Assim que a empresa se propôs a entrar no Brasil, o primeiro revendedor oficial ajudou a companhia a entender as taxas de imposto no país. 

"Agradecemos à equipe da FilipeFlop que trabalhou duro com a gente para garantir que estamos vendendo o produto no Brasil pelo preço certo".
- Raspberry em seu blog

"Agradecemos à equipe da FilipeFlop que trabalhou duro com a gente para garantir que estamos vendendo o produto no Brasil pelo preço certo".
- Raspberry em seu blog

A única diferença entre os modelos Raspberry Pi vendidos no Brasil e no exterior é a cor do PCB da placa. Aqui no Brasil, a edição é azul, enquanto lá fora, verde. Apenas quem mora no Brasil poderá comprar a edição azul. Além disso, como o produto é homologado pela Anatel, é permitido "desenvolver e comercializar produtos com essa placa", de acordo com a Raspberry.

A batalha das placas baratinhas: qual a melhor placa de entrada?

- Continua após a publicidade -

A Raspberry não vende seus produtos diretamente ao consumidor final, por isso a compra do novo PC fica a encargo da loja FilipeFlop. Mais parceiros de revenda deverão contar com o Raspberry Pi 3 em breve.

Especificações | Raspberry Pi 3

- Processador: Broadcom BCM2387 Quad-Core ARM Cortex-A53 1.2GHz 
- GPU: Dual Core VideoCore IV
- Memória: 1 GB RAM LPDDR2
- Conexão: Wi-fi 802.11 b/g/n  - Bluetooth 4.1
- Sistema Operacional: WIndows 10 ou Linux
- Dimensões: 85 x 56 x 17mm

Fonte: Raspberry
Assuntos
Tags
  • Redator: Mariela Cancelier

    Mariela Cancelier

    Mariela é jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina e gosta de jogos de luta e MOBAs. Foi estagiária do Adrenaline e Mundo Conectado e atualmente é redatora freelancer em ambos os sites.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.