Caso do goleiro Bruno vira isca de malware que rouba senhas bancárias

O mistério em torno do desaparecimento de Eliza Samudio, ex-namorada do goleiro Bruno, do Flamengo, virou tema de uma onda de mensagens que espalham malwares pela Internet.

A descoberta é do laboratório latino-americano da ESET, empresa de origem européia responsÁvel pelo antivírus NOD32 e pela solução de segurança on-line Smart Security.




Os cibercriminosos enviam e-mails de forma massiva com um link falso que supostamente levaria a fotos do corpo de Eliza. Na verdade, ao clicar no link, a vítima instala um malware em seu sistema.

Conhecido como Win32/TrojanDownloader.Banload, o programa malicioso trata-se de um malware desenvolvido no Brasil e altamente disseminado no país, de acordo com a ESET. Esse malware é projetado para roubar senhas de acesso a sites de home-banking e outros dados confidenciais que podem resultar em grandes prejuízos para o usuÁrio se caírem nas mãos dos cibercriminosos.

Mais de 100 domínios hospedando a ameaça jÁ foram detectados pela companhia e a estimativa é de que esse número continue aumentando.

A ameaça surge após a grande quantidade de malwares que surgiram tirando proveito da Copa do Mundo para se propagar, na tentativa de aproveitar a falta de atenção e a curiosidade dos internautas brasileiros.

"Qualquer caso de relevância pública que ganhe espaço nos meios de comunicação a nível global constitui uma brecha de possibilidades para os delinquentes virtuais", ressalta Jorge Mieres, analista de segurança da ESET América Latina.

"Nossa recomendação para o usuÁrio é utilizar uma solução de antivírus completa e sempre atualizada, além de evitar clicar em links de mensagens de e-mail e mensagens suspeitas", conclui o especialista.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.