Cientistas usam cristal para implementar internet quântica nas redes atuais

Cientistas da Australia National University (ANU) fizeram uma grande descoberta que pode finalmente resultar numa internet que se aproveite dos recursos da computação quântica.

Para criar essa internet quântica, eles utilizaram um cristal reforçado com érbio para melhorar de maneira significativa o tempo de armazenamento da memória quântica. O mais interessante é que essa tecnologia é compatível com a infraestrutura atual de telecomunicações.

Isso quer dizer que os cabos de fibra ótica já implementados pelas operadoras poderão ser usados para internet quântica, caso essa solução seja adotada.

"Os esforços para construir um computador quântico foram descritos, com frequência, como a 'corrida espacial do século XXI', mas os computadores atuais não foram cientes de seu potencial até termos a internet", defende Matthew Sellars, chefe do estudo da ANU.

De acordo com ele, a ideia de utilizar este método para internet quântica surgiu 10 anos atrás, porém outros pesquisadores não acreditavam que uma ideia tão simples poderia de fato funcionar.

- Continua após a publicidade -

Eles utilizaram memórias que permitem armazenar e sincronizar informações quânticas, o que é necessário para transferir informações quânticas em longas distâncias.

Os íons de érbio conseguem armazenar esses dados por mais de 1 minuto, o que é 10 mil vezes mais tempo do que soluções anteriores. Isso é muito mais do que o suficiente para informações quânticas darem a volta na Terra.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Via: EBC, Tech Radar, Gizmodo, Exame
Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation 1. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia. Formado jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.