Chefe do estúdio de Pokémon achou que o Switch não faria sucesso por causa dos smartphones

O lançamento do Nintendo Switch foi cercado de pessimistas e "mães Diná" de plantão que previam o fracasso do console. Agora que o vídeo game é um sucesso indiscutível, Tsunekazu Ishidara, CEO da Pokémon Company, admite que ele era uma dessas pessoas:

"Eu falei pra Nintendo que o Switch não seria um sucesso antes dele começar a ser vendido porque eu achei que, na era do smartphone, ninguém ficaria carregando um console de vídeo game. É óbvio que eu estava errado."

"Eu falei pra Nintendo que o Switch não seria um sucesso antes dele começar a ser vendido porque eu achei que, na era do smartphone, ninguém ficaria carregando um console de vídeo game. É óbvio que eu estava errado."

A experiência com o Switch, no entanto, fez com que Ishidara concluísse que o que realmente importa são os jogos:

"Eu percebi que a chave para um vídeo game de sucesso é bem simples: software com qualidade absoluta leva a vendas de hardware."

"Eu percebi que a chave para um vídeo game de sucesso é bem simples: software com qualidade absoluta leva a vendas de hardware."

Agora ele não só acredita no potencial do console, como também acha que pode ser levado além, tornando o vídeo game mais popular para uma base ainda maior de jogadores. E é claro que ele pretende alcançar isso com o novo jogo da franquia Pokémon que já foi anunciado estar em desenvolvimento para o console:

- Continua após a publicidade -

"Com o Switch, nós vemos a chance de criar um Pokémon que vai mais fundo e com um nível maior de expressão. Como resultado, isso faz dele (do Switch) uma plataforma extremamente importante."

"Com o Switch, nós vemos a chance de criar um Pokémon que vai mais fundo e com um nível maior de expressão. Como resultado, isso faz dele (do Switch) uma plataforma extremamente importante."

Via: Kotaku Fonte: Bloomberg
Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.