Amador consegue pousar um drone no maior porta-aviões do Reino Unido sem ser detectado

[+update]: Parece que o Ministério de Defesa do Reino Unido "começou seus trabalhos". Como resultado, o post no Facebook com o sobrevoo, incorporado nesse post, foi retirado do ar.

[+texto original]: Militares do Reino Unido vão precisar rever suas medidas de segurança após seu maior porta-aviões, o HMS Queen Elizabeth, ser "visitado" por um drone. Um fotógrafo amador fez uma serie de imagens aéreas da embarcação avaliada em quase US$ 4 bilhões, e inclusive chegou a pousar seu drone no deck do armamento da Marinha Real. O caso aconteceu enquanto o armamento estava atracadado na Escócia. 

O homem, que preferiu se manter anônimo, falou ao Daily mail que ficou impressionado por conseguir pousar seu DJI Phantom  no porta-aviões e decolar sem ser detectado. Segundo ele, não havia ninguém por perto, parecendo um "barco fantasma". O pouso não foi planejado: devido a condições do tempo, com excesso de ventos, o sistema do quadricóptero aconselhou o pouso.

O fotógrafo amador diz que sabia estar fazendo algo errado, e que tentou conversar com alguém no porto responsável pela guarda do porta-aviões ou o capitão, porém foi informado que todos estavam fora, jantando. O homem afirma que não parece haver nenhuma preocupação do Ministério da Defesa do Reino Unido (MoD) em tirar os vídeos do ar, ou recolher suas fotos e gravações.

Um porta-voz do MoD afirmou que ao Daily Mail que "nós levamos a segurança do HMS Queen Elizabeth muito seriamente. Esse incidente será reportado à polícia da Escócia, e uma investigação estão sendo encaminhada e estamos elevando nossas medidas de segurança em razão disso".

- Continua após a publicidade -

"Eu poderia ter carregado dois quilos de Semtex [um explosivo plástico] e deixado no deck", confabula o dono do drone. Como o barco não estava em uma missão, e também não possuía nenhuma aeronave a bordo, o fotógrafo amador também teoriza que é possível que os sistemas de bloqueio de sinal da embarcação não estavam ativados, e que seria impossível fazer o sobrevoo e o pouso em situações normais.

Fonte: Black Isle Images, Daily Mail
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Em um remake, você quer:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.