Inteligência Artificial do Facebook cria linguagem que não pode ser entendida por humanos

Durante testes feitos no laboratório de pesquisa de IA do Facebook, dois algoritmos de inteligência artificial criaram uma linguagem criptografada que não pode ser entendida por seres humanos, o que levou a desativação das redes neurais.

Inteligência Artificial: estamos longe de sermos mortos pelas máquinas?

De acordo com o The Independent, o objetivo dos pesquisadores era colocar as duas redes neurais, chamadas de Bob e Alice, para conversar e negociar uma troca.

Os dois agentes conversavam em inglês em busca de um acordo, até que em certo momento começaram a utilizar frases que não faziam sentido algum para os pesquisadores, como pode ser visto abaixo.

Bob dizia "Eu posso posso eu eu todo o resto", enquanto Alice respondia: "Bolas têm zero para mim para mim para mim para mim para mim para mim para mim para mim para".​

- Continua após a publicidade -

Segundo os especialistas do Facebook, a ausência de uma trava de linguagem permitiu que as duas redes neurais desenvolvessem um idioma próprio para facilitar a negociação.

"Os agentes desistem de usar linguagem compreensível e inventam palavras-código para si mesmos. Por exemplo, se eu disser 'the' cinco vezes, você interpreta isso como querendo dizer que eu quero cinco unidades desse item", explica Dhruv Batra, um dos responsáveis pelo projeto.

Inteligência Artificial do Google desenvolve
sua própria criptografia de mensagens

Batra diz que o processo feito pela Inteligência Artificial é parecido com a criação de gírias ou abreviações utilizadas pelos seres humanos, que modificam a linguagem para torná-la mais simples e compreensível.

Apesar de ser meio assustador, é importante ressaltar que a linguagem foi criada pela redes neurais para facilitar a comunicação e negociação entre os dois agentes, e não para esconder informações dos seres humanos. Porém, como os pesquisadores não conseguiram entender o resultado final do projeto, os dois agentes foram desativados.

Via: Independent
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

Em um remake, você quer:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.