Internet 1.000 vezes mais veloz no futuro?!

O futuro da Internet poderÁ sofrer uma grande revolução nos próximos anos. Pelo menos é o que sugere um grupo de pesquisadores do poderoso Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

Segundo informou o líder da equipe, Dr. Vincent Chan, o MIT demonstrou uma nova forma de organização da rede óptica que na maioria dos casos, poderia eliminar a ineficiência no processo de conversão dos sinais ópticos para os elétricos e vice-versa. Como resultado, a internet poderia ter um gigantesco salto de velocidade, podendo chegar a pelo menos 100 vezes mais e em alguns casos, a 1.000 vezes superior. De quebra, haveria ainda redução na quantidade de energia consumida no processo.

Uma das razões que leva a transmissão óptica de dados ser tão eficiente é que diferentes comprimentos de onda da luz carregada com diferentes informações podem viajar ao longo da mesma fibra. Mas os problemas surgem quando os sinais ópticos provenientes de diferentes direções alcançam um roteador ao mesmo tempo. Convertê-las em sinais elétricos permite o roteador armazenÁ-las na memória até que possa se chegar até elas. A espera pode ser uma questão de milissegundos, mas não hÁ nenhuma maneira que concilie custo x benefício para "retardar" um sinal óptico em um menor tempo.

A abordagem do Dr. Chan, chamada de "comutação de fluxo," resolve este problema de uma maneira diferente. Entre os locais em que são trocados grandes volumes de dados (como por exemplo, em Los Angeles e Nova Iorque), a comutação de fluxo estabeleceria um caminho dedicado toda à rede. Para certos comprimentos de onda da luz, roteadores ao longo do caminho aceitariam os sinais vindos de uma única direção e enviariam nas em uma única direção. Como não hÁ possibilidade de os sinais chegarem de vÁrias direções, nunca haverÁ a necessidade de armazenÁ-los na memória.

Assuntos
Tags
  • Redator: Filipe Braga

    Filipe Braga

    Filipe Braga é um cearense extremamente simpático formado em Ciências da Computação e apaixonado por computadores e tecnologia em geral. Também participa de reviews de hardware, especialmente placas de vídeo, processadores e placas mãe.

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.