Ransomware se espalha em ataque massivo pelo mundo e exploit pode ter vindo da NSA

Um ataque de ransomware está se espalhando rapidamente pelo mundo, mirando especialmente em empresas e hospitais. Os computadores infectados estão ficando travados e é pedido o depósito de uma quantia em dinheiro sob ameaça de perda permanente dos dados, algo especialmente perigoso no caso dos hospitais. Os países mais afetados por enquanto são a Rússia, Ucrânia e Taiwan, mas o ataque já se espalhou para a Europa, como na Inglaterra e Espanha e chegou até os EUA.

Ransomware: conheça o vírus que sequestra computadores e pede resgate - e está atingindo o Brasil em cheio

O software sendo usado nos ataques é o WannaCrypt0r 2.0 e especialistas de segurança afirmam que ele pode ter sido tornado tão poderoso usando um exploit da Microsoft primeiramente concebido pela NSA, a Agência Nacional de Segurança dos EUA que foi envolvida numa polêmica há não muito tempo por estar usando ferramentas de espionagem contra os próprios cidadãos do país. O exploit se chama EternalBlue.

A Kaspersky chegou a reportar 45.000 ataques em 74 países, mas os números estão crescendo rapidamente. Na Espanha, a empresa mais afetada foi a Telefónica, que opera aqui no Brasil como Telefônica Vivo. A companhia afirmou ao Olhar Digital, no entanto, que não há indícios do ataque ter alcançado suas filiais por aqui: "a Telefônica Brasil não foi impactada pelo incidente de segurança mas, mesmo assim, está tomando medidas preventivas para garantir a normalidade de sua operação". 

- Continua após a publicidade -

É importante ressaltar que a Microsoft já tem um patch para versões afetadas do Windows que protege o sistema do WannaCrypt0r, então máquinas que se mantenham atualizadas não devem ser afetadas pelo ransomware. No entanto, é comum que empresas e instituições como as afetadas demorem para fazer as importantes atualizações de segurança em seus sistemas.

Fonte: Olhar Digital, Gizmodo, The Guardian
Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.