Cientista brasileiro da Microsoft, Alex Kipman dispara: "smartphones já estão mortos"

A Microsoft não tem se saído nada bem no mercado de smartphones recentemente, com uma fatia de menos de 1% do mercado. Mas talvez esse segmento não faça tanta falta em breve, ainda mais se o cientista brasileiro da companhia, Alex Kipman, estiver certo.

Site oficial: Microsoft Hololens

Conhecido por ser o principal criador de Kinect e Hololens, ele deu uma declaração bem dramática: "os smartphones já estão mortos, as pessoas só não perceberam isso ainda". Pode parecer algo absurdo, mas calma que tem uma explicação.

O ponto é que, conforme aplicativos de realidade mista vão ficando mais portáteis e se popularizando, as pessoas devem utilizá-los como substitutos ao seu smartphone. E, como aponta o site Bloomberg, essa é uma teoria que ganha muita força dentro da própria Apple. Esse é o grande objetivo da Microsoft para o futuro do Hololens.

- Continua após a publicidade -

Mesmo assim, parece que a companhia ainda não desistiu de fazer celulares. Os rumores dão conta de que eles estão trabalhando num aparelho chamado Surface Phone. De acordo com o pessoal do Neowin, a ideia é que ele seja radicalmente diferente dos smartphones que conhecemos hoje.

Isso é reforçado por declarações de executivos da Microsoft. "Eu tenho certeza que vamos fazer mais smartphones, mas eles não vão se parecer com os smartphones que estão por aí hoje", disse o CEO da companhia, Satya Nadella.

O vice-presidente corporativo, Yusuf Mehdi, reforçou essa ideia. "Nós não vamos lançar outro aparelho que alguém já tenha feito antes", afirmou.

Via: Neowin Fonte: Bloomberg
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation 1. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia. Formado jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Qual a sua marca de mouses para jogos favorita? - Pesquisa de Periféricos 2020

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.