Após tweaks no Cemu, usuário deixa Zelda: Breath of the Wild jogável em 4K no PC

Apenas 1 mês depois de ser lançado, parece que já é possível jogar The Legend of Zelda: Breath of the Wild na gloriosa resolução 4K. Inclusive com taxa de quadros bastante estável e sem glitches ou bugs que estragam a experiência.

O responsável por tudo isso foi o usuário do YouTube YamGaming, que fez uma série de extensivos tweaks no emulador de Wii U Cemu. Grandes avanços em comparação com o que tinha sido feito poucas semanas atrás, quando o game até estava rodando em 4K, mas com vários glitches e desempenho questionável.

Agora, com as mudanças, é possível jogar o game com detalhes como grama altamente detalhada e sem link afundar no chão, por exemplo. Além disso, o desempenho ficou muito mais constante, com o vídeo mostrando poucas quedas abaixo dos 30 FPS. Sim, elas existem, mas estão mais suaves até do que no próprio Wii U.

O computador usado por ele incluin um Intel Core i7 6700K rodando a 4.3 GHz, 16 GB de memória RAM e placa de vídeo GeForce GTX 1070 G1 Gaming.

O mais impressionante é que seus tweaks, que você pode conferir na descrição do vídeo, arrumar várias das runas que não estavam funcionando bem com o emulador. Portanto, agora é possível finalizar o game no PC.

- Continua após a publicidade -

A versão utilizada do Cemu, a número 1.7.4, será disponibilizada hoje, dia 4 de abril, para quem contribui ao projeto no Patreon. A build pública vai sair no dia 9 de abril.

Via: PC Gamer
Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Deve ter lançamentos como leve melhorias na mesma arquitetura

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.