Nova lei nos EUA pode dar o "direito de consertar" smartphones - Apple se opõe

Uma nova lei tem sido discutida em diferentes estados norte-americanos para dar aos usuários de smartphones "o direito de consertar" seus aparelhos por si próprios ou em qualquer loja, não obrigando mais as pessoas a recorrerem apenas às fabricantes dos celulares. O estado do Nebraska é o mais próximo de aprovar a lei e fontes próximas do assunto informam que a Apple pretende lutar contra a legislação.

A empresa, junto com a operadora AT&T, estaria disposta a apelar para o "perigo" que uma lei assim pode oferecer, uma vez que um reparo malfeito tem potencial para danificar a bateria do smartphone, algo que causa riscos de explosão, como o Galaxy Note 7 bem nos ensinou.

Atuantes favoráveis à implementação da lei argumentam que o monopólio sobre o reparo dos smartphone dá às fabricantes a chance de cobrar o que quiserem. Muitas marcas, segundo os favoráveis à lei, criam barreiras propositais pra dificultar o processo de reparo, além de restringir o acesso a informações e aprendizado de como consertar os aparelhos. A própria Apple é uma das mais criticadas, sendo que a empresa chegou a criar parafusos de design proprietário pra dificultar ainda mais a vida das pessoas.

O Nebraska vai ter uma audiência para a nova lei no dia 9 de março, com outros estados como New York, Illinois e Minnesota ainda estão nas fases inicias do debate. Dependendo do resultado no primeiro estado, a lei pode se espalhar pelos EUA e, como de costume, de lá para outros países do mundo.

Fonte: Neowin
Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.