Uma das empresas que mais investe nos anúncios da Google é a própria Google

Uma pesquisa conduzida pelo Wall Street Journal concluiu que, dentro de 25.000 buscas de termos selecionados no Google, em 91% dos casos os primeiros produtos a aparecerem são da própria Google. Isso significa, na prática, que as empresas que pagam para ter seus anúncios no sistema de busca da Google podem estar sendo lesadas caso o produto delas entre em competição com a gigante da internet. Alguns destaques da pesquisa:

- Buscas para "phones" quase sempre lideradas por anúncios para o Google Pixel
- Buscas para "laptops" começaram todas com anúncios para o Chromebook
- 98% das pesquisas para "watches" foram encabeçadas por anúncios de smartwatches Android

Qualquer pessoa que usa o Google como buscador atualmente sabe como funciona o sistema de anúncios dele. Você busca um termo e os primeiros resultados sempre são de empresas que pagaram para aparecer primeiro caso alguém procurasse por aquela palavra-chave específica. Mas há um conflito de interesse quando a própria Google oferece um produto atrelado ao termo buscado.

As boas práticas da livre competição mandariam que a Google seguisse as mesmas regras de seus competidores, mesmo sendo a dona do mecanismo de busca. E, segundo a empresa, é exatamente isso que ela faz e que seus anúncios aparecem primeiro só porque são melhores e ela investe mais. Segundo o Wall Street Journal, "a Google disse que seus anúncios apenas aparecem no topo por causa da qualidade deles e do preço que a Google está disposta a pagar. A empresa disse que seus anúncios domésticos são submetidos aos orçamentos de mercado também."

As empresas que estiverem pensando em investir em anúncios no buscador para produtos que são oferecidos pela própria Google também, vão ter então que levar em conta apenas a palavra da concorrente para fazerem suas decisões.

Via: ReCode
Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Últimas

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.