Mark Zuckerberg testemunha que Oculus não roubou tecnologias em ação de R$ 6 bilhões

O CEO do Facebook (empresa-mãe da Oculus), Mark Zuckerberg, foi chamado ser testemunha num processo de US$ 2 bilhões (R$ 6 bilhões) que acusa a Oculus que ter roubado tecnologia de Realidade Virtual de uma empresa chamada ZeniMax Media.

A ação é baseada em torno da ajuda que o fundador da Oculus, Palmer Luckey, buscou do lendário John Carmack, que então trabalhava na id Software –companhia que é propriedade da ZeniMax.

De acordo com o processo, Luckey tinha assinado um contrato de sigilo. Esse contrato ainda estava em efeito quando ele teria se encontrado com Carmack e uma equipe para discutir problemas técnicos do Oculus Rift.

A ZeniMax Media ainda alega que John Carmack contribuiu com propriedades intelectuais roubadas da companhia quando ele foi contratado para ser diretor de tecnologia da Oculus.

"Os produtos da Oculus são baseados em tecnologias da Oculus", defendeu Mark Zuckerberg, em seu testemunho. "É bem comum quando você anuncia uma grande coisa ou algo que todas as pessoas saiam do nada e aleguem que eles são donos de alguma parte do negócio".

"Como a maior parte das pessoas na corte, eu nunca nem ouvi falar da ZeniMax antes. Eu sei que a nossa equipe legal olharia para isso e examinaria a situação, mas eles não vão gastar um monte de tempo em algo que eles não acham crível", concluiu.

Via: Tech Crunch
Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation 1. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia. Formado jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Os jogos mais aguardados do segundo semestre de 2021

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.