Novos processadores AMD se chamarão Ryzen, seu clock mínimo será de 3.4GHz

A AMD confirmou  novos detalhes sobre seus futuros processadores baseados na nova microarquitetura Zen. A primeira grande novidade é seu nome oficial: eles serão comercializados como processadores Ryzen, "Durante o desenvolvimento, reservamos pacientemente todo o tempo necessário para criação dessa nova tecnologia. Zen era sobre focar no objetivo, e por isso atribuímos o codinome. Agora queremos um nome que represente essa nova fase dos processadores AMD", afirmou Lisa Su, CEO da AMD.

Além do nome, mais algumas informações importantes foram anunciadas. Todos os processadores Zen chegarão com frequência base mínima de 3.4GHz, indicando que haverão produtos com frequências bases mais altas e também a possibilidade de ir além com o AMD Turbo Core. Serão no total 20MB de memória cache (L2+L3), e as CPUs Ryzen contarão com até 8 núcleos e 16 threads.

As tecnologias dos processadores Ryzen: clocks mais precisos, mais performance e capacidade de "predizer" o futuro

Outra novidade importante é um funcionamento mais eficiente das frequências através do uso de sensores precisos nas CPUs, possibilitando otimizações mais avançadas através da tecnologia SenseMI. Ela utilizará os sensores para realizar ajustes mais precisos nas frequências, possibilitando maiores otimizações em performance em consumo. Recursos de "predição" também estarão presentes, interpretando os processos em execução e utilizando os dados para "prever" futuras ações, alocando recursos de forma mais eficiente e até antecipando necessidades futuras de dados.

- Continua após a publicidade -

Os processadores Ryzen serão lançados no mercado no início de 2017, junto com a nova plataforma AMD AM4, que será utilizada tanto de CPUs quanto APUs e contarão com recursos importantes como USB 3.1, DDR4 e NVMe. Os microprocessadores baseados em Zen são compostos pelos Summit Ridge, modelos de até 8 núcleos sem gráficos integrados e voltados a alta performance, os Bristol Ridge, com gráficos integrados e até 4 núcleos, os Naples, voltados a servidores e os Raven Ridge, focados em notebooks e dispositivos mais compactos.

  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.