Mesmo depois do Galaxy Note 7 explosivo, Samsung continua líder no mercado mobile

O fiasco do Galaxy Note 7 explosivo prejudicou as vendas e a imagem da Samsung no mercado global de smartphones, mas não foi o bastante para tirar a sul-coreana de sua primeira posição no pódio do segmento, segundo dados da firma de pesquisas Gartner. A fabricante do Galaxy teria vendido 71 milhões de celulares entre julho e setembro ao redor do mundo, somando 19,2% do mercado e mantendo sua liderança.

Manter sua posição, entretanto, não significa que a polêmica com o último topo de linha não se refletiu em números negativos para a companhia. A Gartner afirma que as vendas da Samsung caíram um total de 14,2% em relação ao mesmo período do ano passado e essa é a sua pior performance desde o quarto trimestre de 2014. Além disso, seus 19,2% asseguram a liderança em presença de mercado, mas representam uma diminuição dos 23,6% que ela havia alcançado no ano passado.

"A decisão de tirar o Galaxy Note 7 foi correta, mas os danos à marca da Samsung vão deixar difícil pra companhia aumentar suas vendas de smartphones em curto prazo. Para a Samsung, é crucial que o Galaxy S8 seja um lançamento de sucesso, para que parceiros e consumidores recuperem confiança em sua marca."

"A decisão de tirar o Galaxy Note 7 foi correta, mas os danos à marca da Samsung vão deixar difícil pra companhia aumentar suas vendas de smartphones em curto prazo. Para a Samsung, é crucial que o Galaxy S8 seja um lançamento de sucesso, para que parceiros e consumidores recuperem confiança em sua marca."

Ao contrário do que muitos possam pensar, essa não se transformou numa grande oportunidade para a Apple e seu iPhone 7. O mesmo relatório da Gartner mostra, na verdade, uma queda nas vendas até da poderosa maçã. Foram 6,6% menos smartphones vendidos em relação ao ano passado, num total de 43 milhões de unidades.

Isso acontece porque usuários de um sistema tendem a continuar com ele. Ou seja, quem se decepcionou com o Note 7 foi procurar outro dispositivo também Android. E isso fez com que as verdadeiras beneficiadas fossem fabricantes chineses, mais precisamente a Huawei, a Oppo e a BBK, que tiveram um crescimento significativo no ano, alcançado as marcas de 32, 24 e 19 milhões de unidades vendidas, respectivamente.

Fonte: Fudzilla
Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.