Especialista em segurança faz o que FBI não consegue e desbloqueia iPhone 5c

O cientista da computação Sergei Skorobogatov, que trabalha no grupo de segurança do Cambridge Computer Laboratory, fez o que até o FBI considerava impossível. Ele utilizou a técnica de espelhamento de NAND para passar por cima do código protetor de um iPhone 5c.

O recurso envolve retirar a solda do chip de memória flash do smartphone, o LGA60 NAND. O mesmo tipo de hardware é compartilhado com todos os dispositivos da linha até o iPhone 6 Plus, o que significa que a técnica pode ser utilizada com todos eles.

Apesar disso, Sergei alerta que é necessário ter um equipamentos mais sofisticados e placa de teste FPGA mais avançada nos smartphones mais recentes. O cientista confirmou que qualquer um com habilidades técnicas suficientes poderia repetir o experimento com sucesso.

O processo utilizado consiste de clonar o chip de memória flash do iPhone. Com isso, para cada vez que o dispositivo for clonado, o hacker terá mais 6 tentativas de descobrir uma senha sem ter que esperar o tempo requerido.

Sergei estima que seriam necessárias cerca de 20 horas para completar um ciclo completo de 10 mil tentativas de senha. Caso o código tenha 6 dígitos, seriam necessários 3 meses. Apesar disso, ele argumenta que o tempo ainda seria aceitável para certas questões de segurança nacional.

Fonte: ARS Technica
Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation 1. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia. Formado jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.