AMD explica como arquitetura das CPUs Zen melhorou desempenho por núcleo em 40%

A AMD promoveu um evento onde trouxe mais detalhes sobre a microarquitetura dos processadores Zen, e como seus engenheiros conseguiram extrair um ganho de 40% no chamado IPC (instruções por ciclo). Apesar de não significar literalmente isso, dá para traduzir de maneira um tanto grossa como "ganho de desempenho por núcleo". Essa estatística, claro, é medida em comparação com a microarquitetura Excavator.

Grande esforço foi colocado em aumentar o desempenho das CPUs por si só, com uma branch prediction totalmente nova, a indrodução de um cache de micro-operações e uma janela de instruções muito mais amplas.

Outras das áreas chave desta melhora foi a taxa de transferência, que precisava de um incremento para conseguir alimentar essas CPUs de maior desempenho com dados e instruções da memória através do prefetching e de uma hierarquia de memória de cache completamente nova, com 8 MB de cache L3.

Para fechar, a AMD também trabalhou na eficiência do hardware, na tentativa de conseguir melhorar o desempenho e a taxa de transferência sem aumentar o consumo de energia. Para isso, o novo processo de fabricação em 14 nm FinFET entra em ação, junto com uma série de técnicas de design da arquitetura Zen, que foram aplicadas com o objetivo de diminuir o consumo.

A companhia também detalhou um pouco do design da arquitetura Zen. Perto dos núcleos principais, por exemplo, existe o CPU-Complex, que consiste de 4 núcleos compartilhando um cache L3 de 8 MB. Assim como acontece nos processadores da Intel, os cores não compartilham nada além desse cache, fazendo com que eles sejam independentes. A empresa diz que isso resulta em melhores núcleos tanto em termos de performance quanto de eficiência.

- Continua após a publicidade -

Para os consumidores finais, o processador mais interessante vai ser exatamente o primeiro a ser lançado. Trata-se do Summit Ridge, que chegará com 8 núcleos, 16 threads e TDP de 95W. Toda a família Zen para desktop vai compartilhar um socket AM4, que será o mesmo das APUs Bristol Ridge. Além disso, haverá suporte a memórias DDR4.

Confira abaixo slides (em inglês) detalhando melhor a arquitetura:

  

  

  

- Continua após a publicidade -

  

Via: Guru 3D, TechPowerUp
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Escolha um lado:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.