Corning diz que riscos feitos no Gorilla Glass 5 podem não ser riscos de verdade

O youtuber JerryRigEverything chamou a atenção nessa semana ao conduzir um teste de resistência da tela do Galaxy Note7, fazendo por tabela um dos primeiros testes no Youtube do Corning Gorilla Glass 5. A conclusão tirada pelo vídeo é que a nova geração da proteção riscaria mais fácil que a anterior, mas a própria Corning afirmou em entrevista que isso não é necessariamente verdade. Os riscos que vemos na tela poderia ser, segundo eles, material da ponta de metal sendo transferido para a tela, e não o contrário.

Kris Carlon, da Android Authority, conversou com dois representantes da Corning: Jaymin Amin, vice-presidente de tecnologia, e Jon Pasansky, diretor técnico do Gorilla Glass. Antes de mais nada, os executivos salientaram que o vídeo não mostra o tipo de teste profissional que se espera antes de tirar conclusões. "O teste conduzido no vídeo obviamente não é um teste industrial genuíno. Ele está usando cinzéis de dureza da escala Mohs, mas é de uma maneira não controlada".

Ainda que os testes não tenham sido feitos de maneira controlada e, partindo-se do pressuposto que o canal JerryRigEverything não usou pontas adulteradas, algo que a Corning de maneira alguma o acusou de ter feito, riscos acontecem e são visíveis. A explicação para isso é que, possivelmente, o que vemos no vídeo não são realmente riscos, mas sim, material das pontas de metal sendo transferido para a tela do smartphone.

"A dureza do cinzel que foi usado no vídeo era de 3, o que é consideravelmente mais macio que o material do vidro. Muitas vezes quando você tem um material mais macio como esse, e dependendo do tipo das cargas que você usou, você tende a ver transferência de material no substrato de teste.
Transferência de material no substrato de testes não é necessariamente um risco, mas pode parecer para olhos não treinados como um risco bastante visível. Nós não sabemos se isso é ou não é o que estamos vendo no vídeo. 
Certamente nos testes que fizemos internamente, nós não vimos esse problema de maneira alguma com cinzéis similares na escala Mohs de dureza."

- Continua após a publicidade -

Quando o teste no Youtube apareceu no meio da semana, foi levantada a hipótese de que o Gorilla Glass 5 seria mais propenso a riscos porque teria que aumentar a flexibilidade e maleabilidade do material para evitar o risco de estilhaçamentos. Amin e Pasansky explicaram que este não é o caso porque não é assim que eles aumentam a resistência de sua proteção. Segundo eles, o desenvolvimento é feito no próprio vidro para diminuir potenciais falhas e fragilidades potenciais que são inerentes ao próprio material e que o tornam propenso ao estilhaço. Essa técnica aumentariam sua proteção contra impactos sem sacrificar sua dureza.

Para fugir um pouco dos tecnicismos e linguagem complexa, Carlon perguntou de maneira direta aos representantes da Corning a informação que mais pode interessar os consumidores: "O Gorilla Glass 5 é pelo menos tão resistente contra arranhões quanto o Gorilla Glass 4?", ao que primeiro eles tentaram se desviar, dizendo que a proteção seria "similar". Mas, quando perguntados de novo, a resposta foi: "Sim, isso está correto."

Fonte: Android Authority
Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.