Google está trabalhando em novo sistema operacional de codinome "Fuchsia"

A Google começou a trabalhar em um sistema operacional completamente novo, mas ainda não anunciou seus planos com ele ou para quais plataformas ele será feito. O nome do projeto é "Fuchsia", e atualmente está listado no GitHub com a descrição: “rosa + roxo == Fuchsia (um novo sistema operacional)”. Segundo especulações, este novo SO não possui qualquer base de kernel ou Linux.

Google Chrome começará a bloquear Flash e tornar HTML5 padrão em setembro

Algumas especulações sugerem que o projeto seria usado para "unificar" o Chrome OS e o Android em um único sistema operacional (algo que já foi discutido em anos passados). Outros especialistas dizem que o OS poderia ser usado para poder de hardware como o roteador Google's OnHub ou outros dispositivos pertencentes à "Internet das coisas" pareados com sistemas da Google. Os desenvolvedores do projeto listados na página do GitHub são Christopher Anderson e Brian Swetland, especialistas em sistemas embarcados. Swetland é engenheiro sênior de software da Google e Anderson já trabalhou em projetos de Android TV e Nexus Q da companhia.

Algumas pistas sobre o "Fuchsia" podem dar um ideia do que se trata. O sistema operacional usa um kernel do Magenta, baseado no sistema LittleKernel, e vem sendo projetado com foco na Internet das Coisas como FreeRTOS ou ThreadX. Basicamente, é um software base projetado para ser usado em sistemas embarcados, computadores que têm uma função especializada e muitas vezes não precisa de um SO real. 

10 meses após lançamento, Marshmallow está presente em 13% dos smartphones Android

- Continua após a publicidade -

No entanto, o kernel Magenta pode fazer muito mais do que apenas alimentar um roteador. Alguns documentos da Google dizem que o software tem como alvo os "smartphones e computadores modernos que usam processadores rápidos e têm bons valores de RAM". Assim, o Magenta suporta uma série de recursos avançados, incluindo modos de "segurança baseada em capacidade" (capability-based security model). Alguns especialistas também estão sugerindo que o projeto Fuchsia poderia ser usado para interfaces de realidade aumentada.

 

Fonte: The Verge
Tags
  • Redator: Mariela Cancelier

    Mariela Cancelier

    Mariela é jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina e gosta de jogos de luta e MOBAs. Foi estagiária do Adrenaline e Mundo Conectado e atualmente é redatora freelancer em ambos os sites.

Pra você, quem merece o GOTY?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.