Prove que o Microsoft MS-DOS é um plágio e ganhe até US$ 200.000

Há anos existe o rumor de que a Microsoft teria plagiado elementos importantes do sistema CP/M para desenvolver o MS-DOS. O consultor Bob Zeidman transformou a busca pela prova desse rumor na sua missão de vida e, depois de várias tentativas sem êxito, decidiu oferecer uma recompensa pra quem quiser lhe ajudar: US$ 200.000.

O The Next Web relata que em 2012 Zeidman usou ferramentas de software forense para tentar provar o plágio e não conseguiu. Em 2014, a Microsoft entregou o código do MS-DOS e do Word 1.1 para o Museu da História da Computação Mountain View, tornando públicas as informações. De lá pra cá, o mesmo museu localizou também uma versão mais completa do código fonte do CP/M e a tornou pública.

Zeidman usou as novas informações disponíveis publicamente e fez uma nova análise. O consultor encontrou então coincidências "discutíveis" entre os sistemas. Nada suficiente para provar um plágio, mas o bastante para fazê-lo "apelar". Zeidman decidiu oferecer a tal recompensa: são US$ 100.000 para quem conseguir uma prova forense de cópia e mais US$ 100.000 para quem encontrar "função de copyright Kindall". Essa função é meio que uma lenda, um resquício que teria ficado da cópia do CP/M (se ela de fato ocorreu) que faz o MS-DOS imprimir uma nota de copyright no nome de Gary Kindall, criador do CP/M.

Fonte: The Next Web
Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.