Google remove meio bilhão de links piratas mas ainda é pressionada por Copyrighters

A Google removeu mais de meio bilhão de links piratas de sua plataforma de busca desde o começo de 2016 até agora. A ação da empresa bateu o recorde de "limpeza" de sua ferramenta, ultrapassando o recorde anterior alcançado no ano de 2015. De fato, o ano ainda não acabou e a Google pode aumentar ainda mais a segurança para prevenir sites piratas.

Google lança página que permite visualizar TUDO o que você já fez nos serviços da empresa

Detentores de direitos autorais (Copyrighters) pediram à Gigante de buscas que removesse os link supostamente "fakes". Os dados analisados ​​pelo TorrentFreak revelam que a Google recebeu recentemente 500 milhões de pedidos em 2016 para eliminar estes sites piratas. Atualmente, mais de 523 milhões de pedidos foram feitos, o que representa mais um recorde. Para efeito de comparação, 2015 levou quase o ano inteiro para chegar ao mesmo marco.

Segundo a Google, cerca de 98% das URLs reportadas são de fato removidas. No entanto, de acordo com detentores de direitos autorais, isso ainda não é suficiente. As empresas continuam pressionando a companhia para ter uma posição mais firme em relação à pirataria.

Google adquire companhia de vídeo Anvato a fim de expandir serviços da Google Cloud

- Continua após a publicidade -

Esta semana foi lançada uma nota de atualização da "Google contra a Pirataria". No relatório, a empresa fornece uma visão geral dos esforços que faz para combater a pirataria a favor da indústria do entretenimento. Segundo ela, o aumento mostra que o sistema está funcionando. A empresa observa também que leva menos de seis horas para remover conteúdo.

Fonte: Torret Freak
Tags
  • Redator: Mariela Cancelier

    Mariela Cancelier

    Mariela é jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina e gosta de jogos de luta e MOBAs. Foi estagiária do Adrenaline e Mundo Conectado e atualmente é redatora freelancer em ambos os sites.

Qual vai ser o melhor game de outubro de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.