Rota 66 nos EUA é testada para gerar energia através de painés solares na pista

O Departamento de Transportes do Missouri (MoDOT), nos Estados Unidos, iniciou um projeto para substituir o asfalto da estrada da Rota 66 por painéis solares. As primeiras placas serão instaladas em um local de descanso para motoristas na cidade de Conway. A iniciativa pretende produzir energia sustentável, e caso seja bem sucedida será aplicada em demais estradas do país. 

Acontece o primeiro acidente fatal envolvendo o piloto automático da Tesla

Os painéis solares são desenvolvidos pela start-up Solar Roadways, e o orçamento possui um preço quase 10 vezes maior do que o asfalto tradicional. Cada placa mede cerca de 0,4 metros quadrados e gera em média 48 watts, dependendo das condições climáticas. Apesar de ser mais caro o investimento pode ser positivo, já que a longo prazo a própria produção de energia pode "pagar a estrada".

França vai transformar 1.000km de estrada em painéis solares nos próximos 5 anos

Inglaterra testará estradas que podem recarregar carros elétricos através de indução magnética

- Continua após a publicidade -

A instalação das placas de energia solar em, aproximadamente, 22 metros visa abastecer o consumo energético da estrutura do ponto de descanso. Segundo a fabricante, se o asfalto de todas as rodovia forem substituídos por placas solares, a energia elétrica produzida seria três vezes maior do que o consumo desta nos Estados Unidos.

Avião movido a energia solar completa etapa mais difícil de viagem ao redor do mundo

Além do recurso de produção de energia, as placas que substituirão o asfalto possuem LEDs indicativos e um sistema de aquecimento para não permitir o acúmulo de gelo em áreas mais frias. Apesar das previsões otimistas, muitos críticos afirmam  que o investimento não vale a pena, mas Tom Blair, engenheiro assistente do MoDOT, acredita que as estradas com painéis solares podem criar novas fontes de receita. As obras serão concluídas até o final de 2016. 

Fonte: O Globo
Assuntos
Tags
  • Redator: Mariela Cancelier

    Mariela Cancelier

    Jornalista pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), fui estagiária do Adrenaline/Mundo Conectado entre 2015 e 2017. Gosto de jogos de luta (o que marcou minha infância foi Tekken 4) e MOBAs. Atualmente sou colaboradora de ambos sites e apareço de vez em quando em alguns vídeos e reviews dos canais.

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.